Publicado por Sara de Paula em Notícias | 05/06/2018 às 14:11:23


O meio ambiente e o papel da Igreja


“Pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele” (Colossenses 1.16)

Desde a criação, Deus estabeleceu seu propósito para com a vida, sobretudo o cuidado com a preservação da natureza e da nossa própria existência. Como parte dessa criação, a raça humana nos últimos tempos tem se tornado a principal predadora do meio ambiente. É impressionante observar como estamos danificando o nosso mundo em todos os aspectos, desde um copo descartável jogado na terra, que levará no mínimo 100 anos para decompor, até tocar fogo em uma floresta só para limpar o terreno para fins particulares.

E qual seria o papel da igreja  diante desse fenômeno? Cabe aqui uma reflexão: Se não conseguimos diminuir a quantidade de copos jogados fora em nossas celebrações aos domingos, como poderemos gerar uma consciência na sociedade de preservação do meio ambiente? Precisamos urgentemente colocar em nossas agendas o cuidado com o meio ambiente e tudo que envolve a sua preservação. Colocar em pauta e nos estudos da nossa ED.

Com um pouco de criatividade, é possível desenvolver ações que podem fazer toda a diferença em nossas comunidades de fé, por exemplo: Podemos criar uma coleta seletiva destinando todos os resíduos para uma reciclagem e, além disso, podem gerar recursos para beneficiar algum projeto social da própria igreja. Dados do portal do Governo Federal indicam que cerca de 10% dos resíduos gerados nas cidades brasileiras são reciclados. O setor movimenta anualmente quase R$ 12 bilhões por ano, porém, mais de R$ 8 bilhões por ano são perdidos porque muitos materiais não são reciclados, já que a maioria dos municípios brasileiros não possui serviços de reciclagem e muito menos coleta seletiva. 

Podemos também direcionar estudos e dinâmicas sobre o consumo consciente, e isso desde o desperdício do alimento ao banho demorado, gastando o bem tão finito como a água. Para quem mora no Nordeste isso fica bem mais evidente e nos espanta ver pessoas ainda lavando calçadas com mangueiras e ao mesmo tempo vendo na TV que os reservatórios estão secos. Outro desafio é educar a sociedade a não jogar lixo nas galerias, pois quando vem a chuva causa desastre e alagamentos provocados por lixo nas tubulações.

Entendemos que cuidar do meio ambiente é uma demonstração de amor a Deus e sua criação, esse deve ser o papel incansável da igreja de Cristo. Para isso, precisamos transformar nossos discursos retóricos em prática, zelo e cuidado com as coisas que Deus nos deixou para toda a vida e isso inclui os recursos naturais do nosso meio ambiente. Devemos resgatar o sentimento de compaixão e amor e ao mesmo tempo indignação por cada árvore cortada, desmatamentos e sinais de morte. A igreja metodista tem em suas ênfases este compromisso que é: Implementar ações que envolvam a igreja no cuidado e preservação do meio ambiente. 

Georg Emmerich
Pastor da Igreja Metodista Central em Natal/RN
Publicado originalmente no Jornal EC de junho


Tags: sem tags no momento!