Publicado por Redação em 21º Concílio Geral - 10/07/2022 às 11:00:48

Bispo Adonias fala sobre o chamado de Deus para a Igreja Metodista no culto de encerramento do 21CG

culto-282-800x568.jpg

Culto de encerramento do 21CG. Fotos de Rodrigo de Britos.

Por Sara de Paula

O culto de encerramento do 21º Concílio Geral da Igreja Metodista aconteceu na manhã do domingo, dia 10.

Após o momento de louvor, ministrado por Nelson Junker, o secretário para o Concílio Geral, Jonadab Domingues, fez a leitura do Salmo 25, e convidou a plenária para cantar o hino 324 do Hinário Evangélico.

O Bispo Luiz Vergílio seguiu a celebração convidando irmãos e irmãs a orarem juntos/as, não como Regiões, mas como uma Igreja, a Igreja de Cristo. A Bispa Marisa de Freitas Ferreira conduziu o momento de oração, e em seguida, o Bispo João Carlos Lopes realizou a leitura de Colossenses 1, no momento de confissão. Ainda no texto, a Bispa Hideide Brito Torres fez a leitura dos versos 13 e 14, nos lembrando do perdão de Deus.

As Comissões de Constituição e Justiça (CGCJ), Coordenação Geral de Ação Missionária (Cogeam), e Colégio Episcopal (CE), foram chamadas à frente, junto com líderes de delegações pare receber a oração da plenária.

Agradecimentos - Em seguida, o Grupo de Trabalho para o Concílio Geral foi chamado para que se expressasse o agradecimento a todos e todas que de alguma forma colaboraram com a realização do 21CG.

O pastor Jonadab reconheceu a importância do trabalho da Sede Nacional, pontuando os muitos funcionários e funcionárias que trabalharam nesse período para realizar com o Concílio. Na pessoa do Bispo Peres, o pastor agradeceu ao grupo da 3ª Região Eclesiástica, com toda a equipe que acolheu e cuidou dos detalhes para que conclave acontecesse. A mediação e a cobertura da 3ª Região Eclesiástica, foi reconhecida ainda pensando nos diálogos que foram necessários com os prestadores de serviço.

A Rede Metodista de Educação foi reconhecida por ter cedido equipamentos e funcionários/as que viabilizaram a transmissão ao vivo do #21CG. A Fateo foi citada pelo auxílio, inclusive com as liberações que foram necessárias para que o pastor Jonadab pudesse atuar na organização do Concílio. As Regiões e os/as líderes de delegações foram mencionados no momento de gratidão por todos os esforços para realizar organização e rateio, assim como os Grupos de Trabalho, como o dos grupos de intercessão, que segue orando pelos encaminhamentos do Concílio.

Ao final da apresentação, o pastor Jonadab foi definido pelo grupo como “incansável”, palavra que se refere aos seus esforços para realização do 21º Concílio Geral da Igreja Metodista.

Em um momento especial de louvor, a plenária declarou mais uma vez que “Deus, somente Deus, domina o trono do universo”.

Mensagem - A palavra de encerramento foi dada pelo presidente eleito para o Colégio Episcopal, Bispo Adonias Pereira do Lago. Depois de agradecer por pessoas em sua caminhada, como a sua esposa Marta, o Bispo expressou o desejo de transmitir o que Deus colocou em seu coração de forma objetiva. “O chamado de Deus para a nossa Igreja”, foi o tema principal da mensagem. Com a leitura do texto de Atos 4:29-31, o bispo lembrou que não há Igreja chamada sem que haja pessoas chamadas por Deus. “Deus chama a sua Igreja das trevas e a transporta para a sua luz”.

O bispo destacou chamados da Igreja, como “ser uma Igreja que ora”, falando por exemplo sobre a história contida em Atos 16:25, que descreve momento em que a oração moveu a saída sobrenatural de Paulo e Silas da prisão.

Outros textos bíblicos que revelam a importância da missão, como Amós 5:6 e II Crônicas 15:3,4 foram lidos pelo Bispo Adonias. “Nós queremos prosperar como Igreja, então vamos orar”. Ele afirmou que no período de pandemia, foram registrados muitos movimentos de oração na Igreja Metodista, nas casas e nas Regiões.

O segundo chamado da Igreja destacado pelo bispo, foi de que a Igreja foi chamada para pregar. Ao ler textos bíblicos, como Habacuque 3:2 e Marcos 16:15, que reforçam o poder da pregação, ele afirmou que “nosso chamado foi desde o começo para pregar a palavra de Deus com coragem”.

“Isso é tão evidente que Wesley disse que os metodistas precisam estar prontos para pregar”, lembrando que a Igreja é chamada para pregar não uma denominação, mas o evangelho.

O terceiro chamado, segundo o bispo, foi para que todos e todas fossem cheios(as) do Espírito Santo. Textos como Efésios 5:18 embasaram a palavra, que defendeu que quanto mais cheios(as) do espírito, mais coragem para pregar a palavra de Deus e mais dons e ministérios a Igreja receberá. O quarto chamado destacado foi para curar. “Igreja que não pratíca cura, desenvolve enfermidades”, defendeu. “Ser Igreja de discípulas e discípulos” foi mais um dos chamados citados. “Nós temos que investir no nosso chamado para que não fiquemos no ativismo, fazendo um monte de coisas que Deus não nos chamou para fazer”. O bispo questionou o que a Igreja está alcançando, se não está alcançando pessoas. O penúltimo chamado destacado foi “ser inconfundível”. A mensagem defendeu que precisamos ser diferentes das pessoas que não são cristãs, não com paramentos, mas com caráter diferenciado na sociedade. “Por que a luz e o sal de Jesus não estão penetrando mais ainda essa sociedade?”, perguntou.

Concluindo, o Bispo falou sobre o chamado para viver em santidade e espalhar a santidade bíblica por toda a terra. “Não tem como eliminar todas as diferenças, mas como Igreja, temos o dever de andar em unidade”.

“Deus está movendo no nosso meio. Deus está nos erguendo. Deus está nos levantando. Deus está nos reformando, nos avivando para cumprir o seu propósito”, concluiu o bispo, convidando os(as) ouvintes para irem junto.

Ato de unção - O Bispo Luiz Vergílio Batista do Rosa encerrou o culto falando sobre o valor do rito, e sobre aquilo que ele representa. “A palavra falou e nós queremos transformar essa palavra num rito que signifique a Igreja está aberta a receber a unção do Espírito Santo”. O bispo Luiz afirmou que através do ato, declarariam que a Igreja Metodista, reunida Concílio, estaria disposta a receber a intrepidez e o amor e Deus. Depois do momento de unção, a plenária entoou o cântico “Vamos nós trabalhar”.

Após o ato, o Bispo José Carlos Peres orou pelo momento de crise pelo qual o país atravessa, pela crise alimentar e pelos tempos de eleição no Brasil,  trazendo uma palavra de orientação pastoral para o cuidado e responsabilidade da Igreja. 

O bispo emérito Nelson Luiz de Campos Leite empetrou a bênção, finalizando a sessão. 

Antes do encerramento, o Bispo Luiz Vergílio anunciou que a continuidade do 21º Concílio Geral, acontecerá nos dias 8 e 9 de outubro, em sessão online.


Confira o álbum de fotos do último dia aqui.

Todos os boletins diários do 21º Concílio Geral da Igreja Metodista


Posts relacionados