Publicado por José Geraldo Magalhães Jr. em Notícias, Metodismo, Liderança | 30/09/2019 às 12:47:23

Encontro em Juiz de Fora reúne pastores aposentados da 4ª Região

Sara de Moraes | Colaboradora do EC | Juiz de Fora/MG

Nos dias 21 e 22 de agosto foi realizado, em Juiz de Fora, o encontro “Cuidando de quem cuidou”. Uma caravana de 16 pessoas de Belo Horizonte, entre pastores/as aposentados/as e cônjuges, foi acolhida na igreja Metodista “Vitória dos Fiéis”, no bairro de Lourdes, pastoreada pelo Rev. Celso Souza de Moraes, que juntamente com o Rev. Messias Valverde e irmãos e irmãs metodistas mobilizaram os/as aposentados/as de Juiz de Fora e região para esta celebração. O evento contou com o apoio do Distrito de Juiz de Fora.

“Fomos acolhidos/as pela amada e fraterna igreja para o encontro, e a hospedagem da caravana ocorreu no lar de pastores e membros da igreja metodista, oportunizando a vivenciarmos momentos de muita alegria e de verdadeira confraternização, onde pudemos rever e abraçar, trazer à memória nossa caminhada pastoral e partilhar os desafios de servir a Deus na Igreja Metodista”, conta o Rev. Lino Estevão Magalhães Leite. O Bispo Adriel de Souza Maia foi o preletor do evento e falou sobre a importância de estar aberto a ser cuidado.

Para Carolina Menezes, esposa do Pastor Olívio Andrade da Silva, “além de um acolhimento de primeira qualidade da IMVF, a alegria e a descontração de todos/as foram visivelmente percebidas. Houve momentos de reflexão, dinâmica e muita cantoria. Esse grupo foi criado com esta finalidade: cuidar do outro com visitas, abraços, bate-papo e escuta. Todos nós temos essa necessidade, principalmente quando estamos aposentados/as, seja em qualquer atividade exercida em nossa vida”.

Unidos/as para cuidar de quem já cuidou
“Alguns anos atrás, pastores/as metodistas aposentados/as da grande Belo Horizonte encontravam-se, mensalmente, no salão social da igreja Central para uma manhã de comunhão, oração, partilha, solidariedade, consolo mútuo, louvor a Deus, amizade… Mas, com as circunstâncias diversas a que somos submetidos/as nos grandes centros, este desejo de estar junto deixou de acontecer”, conta o Rev. Lino.

Em 2018, o Rev. José Pontes Sobrinho, em uma reunião do Distrito Centro Sul de BH e Norte de MG, desafiou a Revda. Airam Lomeu Campos e o Rev. Derly Araújo da Silva a resgatar este projeto, nominando-o com o tema: “Cuidando de quem cuidou”. Desde então, essa confraternização vem acontecendo nas dependências da Igreja Central, com presença significativa de pastores/as e cônjuges. Nele se descobre, também, a bênção que é viver a alegria em comunidade por causa do desejo de estar com Deus e na companhia de amigos/as.

De acordo com informações da Revda. Airam e do Rev. Lino, há pouco tempo surgiu a ideia de contactar outros/as pastores/as aposentados/as que não têm conseguido desfrutar deste convívio e também expandir o encontro para outros lugares. A primeira visita aconteceu dia 3 de julho, na casa do Bispo Adriel de Souza Maia e Mariluse, que retornaram a Belo Horizonte. Depois foi a vez dos/as amigos/as serem recebidos/as pelo casal Lúcia Leiga e Rev. Aluísio Faria de Siqueira, que, na ocasião, foi homenageado pelo Editor Nacional do “no Cenáculo” por seu trabalho como redator do devocionário, com um exemplar comemorativo dos 80 Anos da publicação.

O terceiro evento, e o primeiro fora da região metropolitana de BH, foi o de Juiz de Fora. “Agradecemos a Deus porque muitas vezes essa comunhão produz amizades profundas e duradouras. Ao Rev. Messias e Delma, ao Rev. Celso e Neusa, à igreja hospedeira e a todos/as que contribuíram para a alegria desta visita. Endereçamos os nossos agradecimentos e as mais expressivas manifestações de simpatia, fraternidade que nos une e apreciação pela receptividade de estar junto”, completam o Rev. Lino e a Revda. Airam.

“Aos amigos e amigas que foram (e são) cuidadores/as de almas, mas que hoje, como nós, também precisam ser cuidados, ofertamos com carinho e afeição.”  

O BOM PASTOR
(Poema dedicado aos/às participantes do encontro)
Onofre José de Freitas

Eu sou o bom pastor.
Vim procurar-te porque te vi cansado, triste, ofegante,
enquanto caminhavas solitário.
Talvez não me conheças, mas eu te conheço bem.
Venho seguindo teus passos por muito tempo.
Mesmo quando seguias sem rumo, sem direção…
Sei o teu nome, sei o teu passado.
Mas isso já não importa mais.
Tu não conheces a ti mesmo, 
não sabes o potencial que há em ti,
em tua alma, em teu coração.
Quando olhas para os outros
tu os vês como a ti mesmo e temes.
Perdeste dos outros, 
porque perdeste de ti mesmo.
És uma ovelha desgarrada
de um rebanho que não agregaste.
Não sentes o sabor da vida
porque despersonalizando-te
não te sentes humano…
Nunca te achas seguro
e, perdido não procuras o Caminho.
Não crês em mais nada,
porque não sabes que o nada
é o todo que ocupa teu ser.
Quis partilhar de tuas mágoas,
tua dor, tua miséria, tua fome
tua sede espiritual.
Quis chorar tuas lágrimas,
mas tu não me deste guarida
neste mundo que criaste ao teu redor.
Foste mesquinho ao criar teu universo,
agora não cabes dentro dele.
Por isso interferes no mundo dos outros
e te sentes rejeitado.
Mas, Eu não te rejeitei.
Estou à espera de tua volta.
Diga-me apenas “SIM”.
Foi por ti que eu vim.
Ainda hoje dou MINHA VIDA POR TI

Publicado originalmente na edição de outubro de 2019 do jornal Expositor Cristão 

*Reprodução parcial ou integral deste conteúdo autorizado desde que seja citado a fonte conforme abaixo:

[Nome do repórter], Expositor Cristão (Edição outubro de 2019)


Tags: pastoral