Publicado por Sara de Paula em Notícias, Capa | 04/01/2019 às 14:02:08


Meio ambiente: o que eu tenho a ver com isso?


2019-01-meioambiente-saf-385-800x568.jpg

No texto de Érica Peixoto, publicado no site do SAF, a autora lista ao menos sete razões que explicitam o dever de todo/a cristão/ã em cuidar do planeta. Leia o texto abaixo reproduzido, em partes, e sinta-se desafiado/a a ser um/a cuidador/a em tempo integral do meio ambiente:

Em primeiro lugar, você deve se comprometer com o meio ambiente porque foi Deus que o criou! A Bíblia começa com a seguinte afirmação: “No princípio criou Deus os céus e a terra” (Gênesis 1.1). Deus planejou e criou todas as coisas com muito zelo, criatividade e perfeição. Se você ama a Deus também deve amar aquilo que Ele criou! A preocupação com o meio ambiente demonstra para Deus que você o valoriza, que você o reconhece como o criador e dono de todas as coisas.

Em segundo lugar, você deve se comprometer com o meio ambiente porque a natureza reflete a bondade/glória de Deus! Em Romanos 1.20 está escrito: “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis”. 

Em terceiro lugar, porque Deus se utiliza da natureza para ajudar os Seus filhos e filhas ao passo que ela funciona como parceira de proclamação do caráter de Deus. Em inúmeros exemplos bíblicos, Deus se utiliza da natureza para ajudar, suprir, exortar ou incentivar o homem. James Jones, em seu livro “Jesus e a Terra”, constata a preciosa função da natureza ao anunciar as Boas-Novas. Assim ele escreve: “As aves do céu são evangelistas que cantam as Boas-Novas da providência de Deus para nós na terra: ‘Se ele nos alimenta, alimentará você também’”.

Em quarto lugar, você deve se comprometer com o meio ambiente porque Deus se importa com toda a criação! Deus se importa com a natureza, Deus continua cuidando e se preocupando com a natureza. Mateus 6.26a diz: “Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta”. Salmos 65.9-10 diz: “Tu visitas a terra, e a refrescas; tu a enriqueces grandemente com o rio de Deus, que está cheio de água; tu lhe preparas o trigo, quando assim a tens preparada. Enches de água os seus sulcos; tu lhe aplanas as leivas; tu a amoleces com a muita chuva; abençoas as suas novidades”. 

Em quinto lugar, porque Deus nos deu a responsabilidade de cuidar de sua criação. Desde o Éden, Deus confiou a guarda e o cuidado da natureza nas mãos do homem. Quanto privilégio! Quanta responsabilidade! A ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus (Rm 8.19).

Em sexto lugar, porque não temos o direito de privar as presentes e futuras gerações de usufruírem das bênçãos naturais que Deus ofereceu para todos os seres humanos. Não tenho o direito de esgotar os recursos naturais como se eles tivessem sido dados apenas para a minha geração. Pensar no amanhã é pensar no outro.

Em sétimo lugar, porque Deus nos ensina por meio dos animais e das plantas. Deus nos dá grandes lições por meio da natureza. Os animais e as plantas são, por diversas vezes, utilizados como exemplos para que possamos aperfeiçoar algumas áreas da nossa vida. Deus quer aperfeiçoar o nosso caráter. A pergunta que todo/a cristão/ã deve responder no seu íntimo nessa hora é esta: Somos dignos/as de confiança na mordomia dos nossos recursos?

Leia o texto completo no site do Projeto Sombra e Água Fresca.
 

Publicado originalmente na edição de janeiro de 2019 do Jornal Expositor Cristão impresso.


Tags: sem tags no momento!