Publicado por José Geraldo Magalhães em 21º Concílio Geral - 07/07/2022 às 09:56:49

Eleição Episcopal: conheça os bispos e bispa da Igreja Metodista

 

Presbítero Nelson Magalhães Furtado, ao centro, foi eleito bispo no último escrutínio. Fotos Rodrigo de Britos e Sara de Paula.

Pr. José Geraldo Magalhães

Na manhã do dia 7 de julho, o plenário do 21º Concílio Geral da Igreja Metodista, reunido em Sorocaba/SP, elegeu os bispos e bispa da Igreja. O presidente da sessão bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa, passou a palavra para o presidente de indicações que fez a leitura da lista com os nomes enviados pelas Regiões Eclesiásticas. Foram eleitos nove bispos e uma bispa que irão presidir as nove Regiões Eclesiásticas e a Região Missonária do Nordeste.

A eleição que iniciou ainda na plenária da manhã, seguiu ininterruptamente durante os 24 escrutínios, até às 16h15 quando o último bispo foi eleito. As designações ainda não foram definidas pelo Colégio Episcopal. A bispa Hideíde Brito Torres (8ªRE), foi a única mulher (re)eleita no 21º Concílio Geral. Os delegados e delagadas voltam a se reunir ainda hoje, 21h30.

Bispos eleitos/a por ordem de escrutínos: (As regiões indicadas abaixo são apenas para informar a região dos bispos/a e não as designações episcopais)

CLIQUE AQUI PARA VER O ÁLBUM DE FOTOS COM TODOS OS/A BISPOS E BISPA ELEITOS/A

- Bispo Adonias Pereria do Lago (5ª RE) - reeleito com 141 votos no 3º escrutínio;

- Bispo Paulo Rangel dos Santos Gonçalves (1ª RE) -  reeleito com 138 votos no 6º escrutínio

- Bispo Fabio Cosme da Silva (Rema) - reeleito com 148 votos no 7º escrutínio

- Bispo  Fernando César Monteiro - (6ª RE) - eleito com143 votos no 9º escrutínio

- Bispo Bruno Roberto Pereira dos Santos (1ª RE) -  eleito com 140 votos no 11º escrutínio

- Bispo Roberto Alves de Souza (4ª RE) - eleito com 136 votos no 13º escrutínio

- Bispo André Luíz de Carvalho Nunes (Remne) - eleito com 148 votos no 15º escrutínio

- Bispa Hideíde de Brito Aparecida Gomes Torres (8ª RE) - reeleita com 146 votos no 17º escrutínio

- Bispo Marcos Antônio Garcia - (3ª RE) - eleito com 149 votos no 18º escrutínio

- Bispo Nelson Magalhães Furtado (7ª RE) - eleito com 137votos no 24º escrutínio

Processo de eleição - os delegados e delagadas foram orientados/as pelo Davi Betts (infra e técnica), a votar em dez nomes pelos números indicados na lista que foi projetada, sendo maioria absolurta 134 votos no 1º escrutínio. Na medida que foi sendo eleitos, o número para votar ia diminuindo até que o plenário pudesse votar apenas em um delegado ou delgada quanto tivesse nove eleitos/a. O quórun teve 259 votantes no plenário de 266 delegados e delegadas. Foi feita a leitura dos nomes, pausadamente, pelo secretário de atas do 21º Concílio Geral, pastor Luciano Martins.

Aposentadoria - o presidente Luiz Vergílio, logo após a leitura da lista pelo secretário de indicações, passou a palavra ao bispo João Carlos Lopes que leu uma carta ao plenário dizendo que não concorrerá ao episcopado. O bispo João foi eleito por cinco anos consecutivos. "Grato aos meus pais que conduziram aos filhos a seguir nos caminhos do Senhor", disse o bispo fazendo vários agraceimentos entre eles à família. Um discuros emocionado o bispo finalizou, dizendo da alegria de servir a Deus na Igreja Metodista. O plenário aplaudiu de pé.

O bispo José Carlos Peres também tomou a palavra. "Eu emiti uma carta aberta a toda a Igreja Metodista porque pensei que não seria necessário eu comunicar com vocês aqui no Concílio", e iniciou a leitura da Carta. "..Em conversa com minha esposa, decidimos que é a hora de parar. No 45º Concílio Regional conforme preceito canônico estarei me aposentando. Portanto não concorrerei ao episcopado", destacou o bispo Peres agradecendo pela oportunidade de servir a Deus passando pela faculdade de teologia, como pastor e bispo. 

"Agradeco ao Colégio Episcopal no início da caminhada e pelas reuaniões onde sentimos o agir de Deus. (...) Agradeço aos meus filhos por terem vivido o ministério de Deus e é uma bênçaõ ter sido pais de vocês. Deus nos honrou. Nos deu um genro e uma nora e nos deu quatro netos que estão sendo criados nos caminhos da fé. Minha esposa me auxiliando dando sábios conselhos vindos do coração de Deus", enfatizou o bispo emocionado sendo aplaudido de pé pelos conciliares.

O bispo Luiz Vergílio assumiu a palavra. "Tenho uma gratidão a Deus pela vida da Lia, Eunice e Raquel. Gratidão pelo companheirsmo, amizade juntos nesses 20 anos no ministério episcopal"., iniciouseu discurso. O bispo apontou também que a vida é passageira com névoa ao vento ou penas no ar que dançam diante das inerpéries ou no cotidiano de cada um. Por isso a necessidade de remir o tempo sem querer repetir, sem críticas, outras vivências, outros ares de felicidade. O episcopado foi um chamado que recebi da dádiva imerecida de Deus", enfatizou o bispo Luiz fazendo Concílio regional em MAringá sendo reverendado até o Concílio Geral. "Comunico e peço a comissão de indicação a retirada de meu nome da lista de candidato e candidatas ao episcopado", finalizou o bispo sendo reconhecido com aplauso pelo plenário 21CG.

O bispo presidente convidou os bispo Nelson Luis Campos Leite e o bispo honorário Josué Adan Lazier para fazer parte da mesa no momento da eleição episcopal.No entanto, antes das eleições, as delegações se pronunciaram em forma de reconhecimento dos trabalhos desenvolvidos pelos bispos conforme segue abaixo.

Bispo emérito - A delegação da segunda Região Eclesiástica encaminhou ao plenário a prposta de título bispo emérito pelos 21 anos de episcopado do bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa. O bispo João Carlos que presidia a sessão no momento colocu em votação a proposta por aclamação e foi aprovado por unanimidade.

A delegação da terceira Região Eclesiástica, por intermédio, do líder da delgação fez a proposta ao plenário para conceder ao bispo Peres a concessão de bispo emérito a José Carlos Peres,pelos relevantes serviços prestas a missão. O bispo João Carlos Lopes dirigiu a proposta ao plenário que foi aprovado por unanimidade.

A delegação da Remne também se pronunciou solcitiando o título à bispa Marisa, como sendo a primeria mulher eleita ao episcopado da Igreja Metodista brasileira. O bispo Luiz Vergílio assumiu a palavra e se dirigiu ao plenário para que votasse por aclamação. Todos disseram sim.

A delegação da Sexta Região também recomendou o título do bispo José Carlos Lopes o título de bispo emérito pelos relevantes serviços prestados na sexta região, na Igreja Metodista. O bispo Luiz dirigiu-se ao plenário para votação por aclamação e todos disseram sim.


Pré-eleição

Antes da eleição episcopal, na manhã do dia 7 de julho em Sorocaba, foi preciso discutir  com a plenária a proposta Número de regiões e número de bispos e bispas (IV-4RE-04/13/013:) com o tema Redução do número de regiões eclesiásticas e número de bispos/a. O secretário do 21CG, pastor Luciano Martins leua a proposta conforme segue abaixo:

Que inclua na pauta do referido Concilio discussão de redução do número de regiões de acordo com sua capacidade de auto sustento, e a consequente redução do número de bispos de acordo com a quantidade de regiões autossustentáveis. A justificativa conforme o que está registrado nos Cânones: Art. 116A para existir como Região Eclesiástica, a mesma deve cumprir o que diz o disposto no Art. 83 e seus parágrafos, observado o anexo I, do Cânones 2017-2021, bem como os seguintes critérios: (CG 2016 - AC 02/14) a) capacidade financeira para o seu auto sustento, para fazer o seu trabalho missionário e cumprir as suas obrigações com a Sede Nacional.

O presidente abriu para debates. O primerio a usar a palavra foi o pastor Wesely do NAscimento. (4ª). "Nossa proposta é provocativa. Nossa preocupação é auto-sustento, auto-governo e auto-proclamação, portanto retiramos a proposta com sinal amarelo. Precisamos de cautela nesse momento eretira a proposta.

O bispo frisou que não há discussões, então, sobre a matéria.


Veja também:

Todos os boletins diários do 21º Concílio Geral da Igreja Metodista

 


Posts relacionados