Publicado por Redação em Última Edição - 08/07/2022 às 20:44:44

Conciliares aprovam possibilidade de Bispa ou Bispo atuarem como pastora ou pastor titular

bisposemigrejaslocais-806-800x568.jpg

Angela Lockmann fala a favor da proposta durante o 21CG | Foto: Rodrigo de Britos

Entre as propostas, foi discutido na tarde de sexta-feira, 8, a possibilidade de que a Bispa ou Bispo da Região possa, também, ter nomeação e atuar como pastora ou pastor em uma Igreja Local, se necessário e conforme entendimento com o Ministério de Ação Episcopal, sendo que todos os encargos relativos à função episcopal seriam decididos pela Coordenação Regional de Ação Missionária (COREAM).

A proposta visou, entre outras coisas, a possibilidade e trazer economia para determinada Igreja Local, pois a Região continuaria arcando com os valores dos encargos. A economia também alcançaria a Região, já que a Igreja Local também poderá contribuir com o pagamento das despesas episcopais. Isso “permitirá também que ele ou ela mantenha a sua convivência e ligação com uma comunidade local, desenvolvendo sua vocação pastoral”, defende o texto da proposta.

Esclarecimentos - O pastor Robson Alexandre Pereira da 1ª RE, inicialmente se colocou contra a proposta dizendo que em uma Região muito grande ou com muitas igrejas, isso se torna impossível.  

Pedidos de esclarecimento foram feitos no sentido da prática da proposta. O pastor Rafael Rogério de Oliveira da 8ª RE, lembrou das falas do Bispo Adriel de Souza Maia e de sua esposa Mariluse Maia, de que sentiam falta da vivência da Igreja Local. Rafael esclareceu ainda que essa seria apenas uma possibilidade. “A proposta não tem caráter obrigatório”, esclareceu o Pastor Rafael.

O pastor Edinei Reolon, da 8ª RE lembrou em sua fala da importância de bispos(as) seguirem vivenciando a experiência do pastoreio, citando inclusive que a Bispa Hideide em sua Região, lidera células.

O Pastor Paulo Roberto Garcia, da 3ª RE questionou se não estariam legislando sobre uma prerrogativa que já é do Bispo ou Bispa, se posicionando contra a proposta por entender que ela já é prevista em uma ação pastoral. O pastor Davis Roberto Daniel, lembrou sobre a importância de o assunto estar presente na letra canônica. Ângela Lockmann de Macedo também falou a favor da proposta, lembrando que, como filha de bispo desde os 9 anos de idade, seria uma honra para ela ter o pai mais perto enquanto crescia.  

“Teria sido um privilégio ter o meu pai mais perto de mim durante todos esses anos numa Igreja Local. Meu pai, todo mundo que tem convívio com ele sabe que ele é um evangelista e hoje ele dirige uma célula com pessoas que não são crentes, às vezes que se aproximam, que ele evangeliza na rua e que leva para dentro da casa dele para ter esse convívio na célula”, disse Angela, que é filha do Bispo Metodista Emérito, Paulo Lockmann.

Após delegados/as se manifestarem a favor e contra as propostas, ela foi encaminhada à votação. Foram 136 votos a favor, 108 contrários e 1 abstenção. O Bispo Adonias Pereira do Lago anunciou a aprovação da proposta.  


Posts relacionados

Última Edição, Atualidade, Capa, Boletins 21CG, por José Geraldo Magalhães

EC de julho: 21ºConcílio Geral (Vol. 136 N. 7 2022)

A Palavra Episcopal desta edição, o depoimento do presidente do Colégio Episcopal e a fala de vários delegados e delegadas mostraram que o agir e mover de Deus surpreendeu a todos/as quebrando barreiras para que o perdão fosse liberado acompanhado de ações concretas.

Notícias, Última Edição, Boletins 21CG, por Redação

Como acompanhar o 21º Concílio Geral da Igreja Metodista

Acompanhe a cobertura oficial do 21° Concílio Geral da Igreja Metodista, que acontece de 3 a 10 de julho, na cidade de Sorocaba, interior de São Paulo.