Publicado por Redação em Metodismo, Notícia, Atualidade, Episcopal - 03/01/2017 às 10:18:10

Colégio Episcopal consagra Bispos e Bispa para o próximo quinquênio

2017_01_fabio_certificado

O Colégio Episcopal da Igreja Metodista no Brasil consagrou os/a novos/a Bispos/a eleitos/a no 20º Concílio Geral. Um/a representante do Expositor Cristão esteve presente em todas as consagrações episcopais que ocorreram nos meses de novembro e dezembro.

Fabio Cosme da Silva

O Presbítero Fabio Cosme da Silva foi o primeiro a ser consagrado. O ato ocorreu no dia 26 de novembro na Igreja Metodista em Rondonópolis (MT). A cerimônia começou às 19 horas e contou com a participação de mais de 400 pessoas.

O Bispo Fabio conversou com o Expositor Cristão logo após a consagração. “Vejo que a graça de Deus me alcançou e me chamou. Estou bastante empolgado. Deus tem uma visão para a Rema de multiplicação e vou dar tudo de mim com muito amor e dedicação para pastorear os/as pastores/as”, disse o Bispo Fabio.

2017_01_fabio_igrejaO sonho do Bispo Fabio é avançar pela região Norte do país. “Vamos trabalhar para que Rondônia e Acre se tornem a nona Região Eclesiástica. O que tenho em mente é pastorear os/as pastores/as e capacitá-los/as no discipulado e implantação de novas igrejas”, finalizou.
Lideranças de várias partes do país prestigiaram a celebração. É o caso dos pastores Eber Borges e Paulo Dias Nogueira, que saíram do interior de São Paulo para representar a Faculdade de Teologia. “A Fateo e todo o corpo pastoral e docente se alegram de estar aqui. Nos apresentamos para o diálogo e, sobretudo, para orar para sua vida, ministério e família”, disse o pastor Eber. O Pastor Paulo Nogueira reafirmou a importância de manter parcerias. “A parceria que temos com a Rema foi um projeto que deu certo com o Bispo Carlos Alberto. Esperamos que ela possa continuar também em seu ministério episcopal”, disse o pastor.

Gerson Albino Prudêncio está na Igreja Metodista em Rondonópolis desde 1977 e espera um pastor que dê continuidade à missão iniciada pelo Bispo Fabio. “Nossa alegria é muito grande de ver a Igreja Metodista evoluindo graças ao discipulado. Nosso desejo é que possamos receber um/a pastor/a com a mesma visão do Bispo Fabio”, disse.

Henrique José Januze congrega na Igreja Metodista em Primavera do Leste, que fica a 130 quilômetros de Rondonópolis. “O que temos hoje é resultado de um trabalho bem-feito. Chegou aqui numa igreja já estabelecida, mas que precisava de um novo agir de Deus. As pessoas abraçaram a visão do pastor Fabio e a Igreja cresceu”, finalizou.

Uma das pessoas que trouxe o Pastor Fabio para a Igreja Metodista, o pastor Ubiratan Silva, se sente honrado por fazer parte da trajetória ministerial do Bispo Fabio. “O Bispo Fabio chegou a Pirassununga (SP), nós o apoiamos e ele foi para Santa Rita do Passa Quatro. Hoje, fico feliz de fazer parte dessa história”.

O Bispo Fabio Torres irá presidir, a partir de janeiro de 2017, a Região Missionária da Amazônia, Rema.

Hideide Brito Torres


2017_01_hideide_familia

Mais uma presbítera ao ministério Episcopal. Hideide Brito Torres recebeu o ato de consagração pelas mãos dos Bispos Adonias Pereira do Lago, Roberto Alves de Souza e da Bispa Marisa de Freitas Ferreira, no templo da Assembleia de Deus, em Cataguases (MG), no dia 2 de dezembro. Quase 400 pes­soas prestigiaram a Bispa Hideide e vieram de longe. “Viemos para apoiar nossa Bispa e dizer a ela que pode contar conosco na caminhada episcopal”, disse o pastor da Igreja Metodista Central de Goiânia, Edinei Berteli Reolon.

2017_01_hideide_familia2A Coordenação Geral de Ação Missionária (Cogeam) também esteve representada. A Pastora Cristiane Capeleti, secretária do órgão, saiu de São Paulo para prestigiar a Bispa. “Participar desse ato histórico mostra que nossa Igreja está avançando na questão de gênero”, disse a pastora.

A Bispa Marisa de Freitas Ferreira, segundo ela, “quebrou o protocolo” quando se dirigiu à Bispa Hideide logo após a consagração. “Deus prepara os nossos caminhos. É um tempo difícil e de mudança para a família, principalmente para as duas filhas menores. Sair de Cataguases, uma cidade consideravelmente pequena, para Brasília será uma diferença muito grande, mas certamente Deus irá preparar novas amizades”, disse a Bispa enquanto as duas meninas choravam e oravam ao mesmo tempo. Um momento que comoveu todas as pessoas que ali estavam.

No sermão da Bispa Hideide, ela meditou na Carta do Apóstolo Paulo em 2 Coríntios 2.14-3.6 para falar de Cartas e Perfumes. “Dizem os/as entendidos/as que Paulo, quando escreveu este texto, tinha em mente o desfile romano após uma guerra. O cheiro da vitória emanava dos incensos acesos e das pétalas de flores que o povo lançava sobre os soldados enquanto estes passavam cansados, exaustos e vencedores pelas ruas da cidade, apresentando seus troféus da vitória”, destacou.

Ao se referir ao cheiro, a Bispa Hideide recordou o cheiro da Santa Ceia quando era pequena e não podia participar. “A igreja inteira cheirava a pão e a suco de uva. Era impossível ficar ali sem aquela presença. Era uma coisa tão significativa que eu considero padaria coisa sagrada (...) Este é o meu corpo…’”, disse.

A Bispa concluiu dizendo que talvez o sermão proferido naquela noite não iria impactar e atrair multidões, mas ela queria um sermão que cheirasse vida. “Eu quero viver uma vida intensa, de ser perfume que espalhe cheiro de vida e carta que informe o caminho da salvação. (...). Eu anseio por uma igreja que não queira fazer seu nome na história, nem ser contada entre os/as poderosos/as deste tempo, nem que se conforme a esse século. Uma igreja que queira ser perfume, presente por mais efêmero. Uma igreja que queira ser carta e se deixe ser escrita pelo autor da vida. E no fim de tudo isso, ainda que servos e servas inúteis, considerados/as pelo Deus da vida como fiéis”, finalizou.
A Bispa Hideide de Brito Torres irá presidir, a partir de janeiro de 2017, a 8ª Região Eclesiástica da Igreja Metodista.

Emanuel Adriano Siqueira

2017_01_mano_uncao2

No dia 4 de novembro, o templo da Igreja Metodista em Mandaguari entrou para a história. Pela primeira vez uma consagração episcopal ocorreu na Igreja. O Bispo eleito no 20° Concílio Geral da Igreja Metodista, Emanuel Adriano Siqueira, conhecido agora como Bispo Mano, acompanhado por mais de 500 pessoas, recebeu a consagração episcopal. Foi uma grande festa com celebração, louvores e homenagens que reconheceram a facilidade para conciliação e discipulado como marcas na vida do novo Bispo.

2017_01_mano_mandaguariO Pastor Robson Silva foi o responsável pela direção do culto e, assim como o restante da igreja, expressou a saudade que a família atuante na comunidade há 20 anos deixará, mas reconheceu a vontade de Deus ao afirmar que “dEle, por Ele e para Ele são todas as coisas” ao abrir a celebração lendo Romanos 11.36. “Escolhi esse verso porque eu creio que ele traduz tudo o que nós estamos fazendo aqui e também traduz o ministério do pastor Mano em nossa vida, que todas as coisas são feitas com um único objetivo: honrar ao Senhor”, afirmou o pastor Robson.
“A igreja existe para missão, assim como a vela para ser queimada”, lembrou o Bispo João Carlos, presidente da 6ª Região Eclesiástica (RE) ao afirmar que a ocasião celebrava o dom específico que o Bispo Mano receberia, de cuidar de uma parte maior da Igreja. Ao lado do Bispo Luiz Vergílio, presidente da 2ª RE, e do Bispo José Carlos Peres, presidente da 3ª RE, o Bispo João Carlos prosseguiu com o ritual ao reunir em volta do altar os bispos recém-consagrados, Paulo Rangel e Fabio Cosme, que marcaram presença na consagração do amigo. “Eu não poderia deixar de vir aqui a Mandaguari, porque aprendi sobre discipulado com o Pastor Mano”, explicou o Bispo Fabio.

Toda festa foi preparada com um impressionante carinho. “O coração de servo dessa igreja inspira”, comentou o Bispo Paulo Rangel sobre o culto, e também falou sobre as contribuições que quer oferecer ao lado do Bispo Mano no CE. “A minha expectativa, por exemplo, é que a gente permita que o discipulado seja o ambiente norteador de todas as nossas ações”, afirmou.

Um dos momentos mais emocionantes foi o de agradecimento da família pastoral, conduzido pela filha, Adriana Siqueira. “Na verdade, foi muito difícil preparar esse momento, porque nada do que a gente fizesse poderia demonstrar a gratidão que temos, não só com a igreja, mas com o ministério do meu pai”, contou Adriana.

Também não foi fácil para o Bispo Mano. “É um misto de emoções. A alegria pela função que a igreja designou para nós, reconhecendo e acreditando no nosso ministério, mas também é uma tristeza. É uma família, filhos/as de 20 anos de ministério aqui em Mandaguari que a gente vai deixando para trás”, afirmou o Bispo recém-consagrado.

Paulo Rangel

2017_01_paulorangel_certificado

O Bispo Paulo Rangel foi o último Bispo a ser consagrado Pelo Colégio Episcopal em 2016. Foram mais de 500 pes­soas que lotaram o teatro Tucker no instituto Metodista Bennett, no Rio de Janeiro, no dia 17 de dezembro. A galeria do teatro estava ocupada por membros da Igreja Metodista em Pilares que vestiam uma camisa branca com os dizeres: “Nosso pastor, nosso Bispo. É desse jeito”, estampado no peito.

Conforme o próprio Bispo Paulo Rangel comentou logo após seu sermão baseado no texto de Lucas 34.13-35, que menciona Jesus no caminho de Emaús, seu ministério episcopal é fruto de uma profecia de uma irmã de 83 anos. “Dona Carmelita, há dois anos, profetizou que eu seria Bispo da Igreja Metodista”, disse confiante o Bispo Rangel.

Neide Modesto Esquerdo de São João de Mereti (RJ) está contente com o novo Bispo da Região. “Fiquei muito feliz, porque o bispo Paulo Rangel foi juvenil com minha filha e são muito amigos. Vejo que a Igreja Metodista está crescendo e peço a Deus que abençoe o bispo Paulo Lockmann e o novo Bispo que irá sssumir em janeiro”, disse.

Dalila Seixas está há sete anos em Pilares. “A gente perde um pastor, mas a gente envia um Bispo. É um privilégio muito grande participar desse momento histórico na Igreja Metodista no Brasil e fazer parte dessa geração. Apoiamos o ministério do Bispo Paulo Lockmann e agora o do Bispo Paulo Rangel. Ele tem deixado um legado muito grande em nossa Igreja ao dizer que ‘vidas são mais importantes do que coisas’”, afirmou.

2017_01_paulo_lockmannA Dona Carmelita também é de Pilares e, mesmo profetizando há dois anos sobre a vida do então Pastor Rangel, afirma que não será fácil. “Sou de Pilares (RJ), tenho 83 anos. É um caminho árduo, mas foi Deus que deu esse ministério a ele. A vitória, ele vai ter, mas lutas também. Deus o escolheu, chamou esses homens e mulheres para um ministério específico. Cabe a nós ficarmos orando para que eles possam fazer cumprir a vontade de Deus”, declarou.

O Bispo Paulo Rangel conversou com o Expositor Cristão logo após ser consagrado pelo Colégio Episcopal. “Tenho uma expectativa muito grande de poder contribuir com um serviço de entrega a Deus; de um relacionamento puro e sincero. Sempre vou pedir a orientação a Deus para ter um ministério de fidelidade a Ele. Isso será o maior presente que vou poder dar à 1ª Região”, disse.

O Bispo Rangel destacou também a importância dos membros da Igreja Metodista de Pilares e de outras Igrejas por onde pastoreou que prestigiaram a celebração de consagração.

“Vejo tudo isso que está acontecendo aqui como fruto do trabalho, da entrega, do companheirismo. É aqui que a gente lembra que vale a pena ter estado junto das pessoas nos momentos difíceis da caminhada”, lembrou o Bispo.

O Colégio Episcopal esteve representado pelo atual presidente do CE, Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa, Bispo Adonias Pereira do Lago, Bispo Paulo Lock­mann, que presidiu o Concílio Extraordinário da 1ª RE pouco antes da consagração, Bispa Marisa de Freitas Ferreira, Bispo Carlos Alberto Tavares Alves e Bispo Fabio Cosme da Silva.

Diversas lideranças nacionais, como o presidente do Conselho Superior de Administração (Consad), Paulo Borges, e o diretor-geral da Rede Metodista de Educação, Robson Ramos de Aguiar, aproveitaram a ocasião de uma reunião no Rio e prestigiaram o novo Bispo Paulo Rangel. A Secretária para a Vida e Missão, Pastora Joana D’Arc Meireles, também esteve presente, além dos pastores José Carlos de Souza e Adilson Mazeu, que representaram a Faculdade de Teologia.

José Geraldo Magalhães 
Sara de Paula 
PUBLICADO ORIGINALMENTE NO JORNAL EXPOSITOR CRISTÃO DE JANEIRO 2017

Confira as matérias estendidas, vídeos e álbum de fotos completos clicando aqui.

Posts relacionados

Atualidade, Metodismo, Notícia, por José Geraldo Magalhães

21º Concílio Geral bate à porta e traz esperança ao povo metodista

Todas as vezes que se fala em Concílio Geral (CG) se pensa em debates, discussões intermináveis, decisões importantes que precisam ser colocadas em pauta, missão da Igreja, e por vezes muitos assuntos acabam ficando para o Colégio Episcopal e/ou a Cogeam decidirem futuramente.

Episcopal, por José Geraldo Magalhães Jr.

Metodismo, por Redação