Publicado em Página da Criança, Artigo DNTC, Notícias, Coluna DNTC | 10/08/2018 às 09:13:12


O amor do Aba

2018-08-dntc-968-800x568.jpg

“Assim também nós, quando éramos meninos, estávamos reduzidos à servidão debaixo dos primeiros rudimentos do mundo. Mas, vindo à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. E, porque são filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai. Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo” (Gálatas 4.3-7)

Por diversas vezes chamamos Deus de nosso Pai, mas, de fato, estamos aceitando-O como nosso Pai? Por exemplo, se não conseguimos entregar nossos anseios para nosso Pai, se não conseguimos entregar nossas preocupações com a família e com a educação dos filhos/as para nosso Pai, estamos confiando pouco na sua paternidade. Ele então vem nos exortar, e por diversas vezes somos repreendidos/as, mas é para nosso bem e crescimento. Quando nos voltamos para o mundo, estando debaixo da servidão do pecado, Ele nos envia seu Espírito, nos ensina a clamar pela sua graça e favor e nos liberta do pecado. Deus é o Pai perfeito, que nos ama e nos conhece, sabe tudo o que precisamos e não desampara aquele/a que o reconhece como seu Aba, seu paizinho. Precisamos oportunizar que nossas crianças experimentem o amor do Aba, que sintam como Ele é amoroso e fiel, e assim que cresçam com a certeza de que mesmo se o mundo o/a fizer chorar, sempre terá aquele pelo qual ele/a poderá clamar: Aba, Pai.

Equipe DNTC
Publicado originalmente na edição de agosto de 2018 do Jornal Expositor Cristão impresso


Tags: sem tags no momento!