Publicado por Sara de Paula em Notícias | 05/03/2018 às 15:25:05


Mulheres em missão continuam no combate à violência


2018-03-mulheres-ivana-434-800x568.jpg

No mês de março, mais precisamente no dia 8, é celebrado o Dia Internacional das Mulheres. Este dia tem o intuito de fazer uma pausa para refletir sobre temáticas que envolvem questões referentes às mulheres, como discriminação e violência morais, físicas e sexuais que afligem ainda nos dias atuais milhares de mulheres no mundo. Como ponto de partida, trazemos à memória um momento crítico em que centenas de mulheres foram queimadas vivas em uma fábrica têxtil em Nova York no ano de 1911, quando reivindicavam por direitos trabalhistas.

Lamentavelmente, ainda em nossos dias, as mulheres continuam sendo “queimadas” em seus direitos, pois a cada dia têm que lutar por salários que são proporcionalmente menores que os dos homens, creches para os/as filhos/as, transportes dignos onde não sejam alvo de assédios, assim como tantos outros direitos. O Brasil é o quinto país do mundo em ranking de violência contra a mulher, alcançando o número de 4,8 assassinatos a cada 100 mil mulheres, e a maioria desses crimes é realizada no âmbito familiar. 

Como Confederação Metodista de Mulheres, há alguns anos estamos empenhadas/os em ajudar e capacitar a Mulher Metodista nessas questões, pois entendemos que, mesmo no meio cristão, ainda existe tabu sobre essa temática e, infelizmente, a prática também. Uma ação que temos trabalhado é o Março Lilás, com a qual intensificamos junto às Sociedades de Mulheres atividades que tragam reflexão sobre a importância da autoestima da mulher, da sua capacidade de liderança e conhecimentos de questões sociais em que ela é diretamente atingida.
 

Ao longo desses últimos quatro anos também temos nos unido com a Federação Mundial de Mulheres Metodistas e Igrejas Unidas (WFMUCW), dando ênfase à campanha “Thursday in Black” que, no Brasil, usamos “Quinta-feira uso preto, digo Não à violência contra a mulher”. Este movimento não é de um país, mas um esforço mundial de criar um diálogo aberto sobre questões que afligem mulheres diariamente em todo o mundo. Nosso trabalho em ações concretas tem se realizado através das Federações de cada Região, que tem reunido as Sociedades de Mulheres para um diálogo, palestras, debates e ainda, por várias vezes, foram às ruas em pas­seatas pacíficas e silenciosas com a finalidade de alertar a sociedade civil sobre este tema – Violência contra a Mulher. 

Os desafios são grandes, pois ainda temos muito a alcançar. Nosso desejo é sair das palavras de instruções para ações mais concretas e ter como acolher mulheres em situação de risco de vida, ajudá-las a ter oportunidades de recomeçar. Pode parecer para algumas pessoas que o tema não passe pelo espiritual, mas quando penso neste relato, em especial no contexto da palavra do Senhor, o que me vem à mente é o Salmo 11.7, que diz: “Porque o Senhor é justo e ele ama a justiça; os retos lhe contemplarão a face”. Isto é muito espiritual, praticar a justiça e amar o próximo, que é ser humano como todos nós. O convite a todos e todas é para amar, respeitar uma mulher como se fosse você mesmo, sinta as suas dores e necessidades, aí você contemplará a face do Senhor. Um abraço com o aroma suave do bom perfume de Cristo.

Ivana Aguiar Garcia | Presidente da Confederação Metodista de Mulheres
Publicado originalmente no Jornal EC de março de 2018. Acesse aqui.


Tags: sem tags no momento!