Publicado em Notícias, Capa, Editorial | 06/04/2018 às 18:29:25


Pentecostes: o que significa e como celebrar



Celebra-se o Pentecostes 50 dias após a Páscoa. Uma experiência narrada no Antigo e Novo Testamentos. Antes mesmo de Jesus, os/as judeus/as já celebravam o Pentecostes, embora muitas igrejas enfatizem apenas o derramar do Espírito Santo narrado por Lucas no livro de Atos dos Apóstolos.

Quem escreve sobre o assunto é um especialista em Antigo Testamento que coloca em xeque três questões importantes relacionadas à celebração no dia de Pentecostes. Será que as igrejas em nosso tempo, ao celebrar a data, agradecem à terra pelos seus frutos? Enfatizam o aspecto comunitário? Destacam no culto um momento para ouvir as insinuações da Palavra de Deus que ilumina e dá sabedoria aos/às que buscam orientação e força?

Há de se pensar que tipo de Pentecostes vamos celebrar no dia 20 de maio. O professor Dr. Tércio Siqueira, pastor aposentado da Igreja Metodista e ex-professor da Faculdade de Teologia, explica no texto a origem do Pentecostes e por que celebrar a data, além de mencionar as ações praticadas pela Igreja Primitiva.

Como devemos realizar a celebração em nosso tempo? Aproveitamos a ocasião da data para compartilhar uma sugestão de liturgia para sua celebração. Outros materiais de apoio produzidos pelo Departamento Nacional de Escola Dominical estão disponíveis no site da Sede Nacional.

Nesta edição também mencionamos os 280 anos da experiência do Coração Aquecido. A reflexão escrita pelo Grupo de Fraternidade Wesleyana relembra a frustração de Wesley vivenciada na Geórgia, nos Estados Unidos, e a fascinante experiência na Rua Aldersgate, em Londres. Ter um coração aquecido é o que move metodistas à missão. Aquecidos/as pelo evangelho, pelo Espírito Santo de Deus nesse tempo de Pentecostes, de Oferta Missionária e compromisso com o próximo, como está fazendo a Igreja Metodista em Boa Vista/RR com os/as venezuelanos/as que mencionamos na edição passada, muito embora, recebemos na redação e-mails dizendo para cuidar principalmente das famílias da fé. Sinceramente, creio que Jesus cuidaria dos/as imigrantes também. Seguir com o/a diferente é sempre um desafio para todos/as nós. Caminhar com aqueles/as que pensam igual a nós é sempre melhor e mais confortável, mas será que Jesus agiria dessa forma?

Deus o/a abençoe!

Pr. José Geraldo Magalhães
Editor-chefe | Expositor Cristão

BAIXE A EDIÇÃO EM .PDF

LEIA ABAIXO A EDIÇÃO DIGITAL

 

 

Tags: sem tags no momento!