Publicado por Sara de Paula em Notícias, Igreja e Sociedade | 09/01/2019 às 15:51:06


Igreja Metodista da Luz aprova projeto para acolher mulheres e crianças migrantes e refugiadas


“Braços abertos através das portas abertas da igreja”. Com essa frase a pastora Eliad Santos celebrou o fato de que em 2019, o bairro da Luz, na capital paulista, verá o templo aberto para pessoas em situação de deslocamento.

Imagem: Fachada da Igreja Metodista localizada no Bairro da Luz, em São Paulo / Foto: Alessandra Haro

Aconteceu na última terça-feira, dia 8, a primeira reunião da Coordenação Local de Ação Missionária (CLAM) da Igreja Metodista da Luz, em São Paulo (SP). Um dos assuntos discutidos pelo grupo foi o projeto a ser realizado em parceria com a 3ª Região Eclesiástica da Igreja Metodista, que pretende acolher mulheres e crianças em situação de deslocamento forçado, publico muito presente nessa região central da cidade.

A iniciativa foi compartilhada na edição de setembro de 2018 do Jornal Expositor Cristão, quando a Coordenação Regional de Ação Missionária aceitou a proposta de levar resposta à essas pessoas. Na ocasião, o Bispo José Carlos Peres, presidente região, defendeu a necessidade do trabalho. “Queremos atender mulheres e imigrantes junto com seus filhos e filhas, crianças que ficam soltas e precisam de alguém que dê esse apoio para elas. Temos o apoio do SAF, da área nacional e uma parceria com a 3ª Região para ver como vamos encaminhar cada passo desse projeto”, afirmou o Bispo. Leia a matéria completa aqui.

A Pastora Eliad Santos, nomeada esse ano para IM da Luz, explicou que a comunidade local já estava na busca de algum projeto social para dar função ao espaço do templo que, até então, encontrava-se em desuso. “Eles acham um absurdo aquele espaço enorme estar abandonado”, contou a pastora Eliad, ressaltando que hoje a infraestrutura da Igreja apresenta vários problemas. “Como eu nasci lá, minha família é de lá, é triste você chegar e ver como era e como ficou”. Por conta disso, um dos primeiros passos é começar o processo de buscar orçamentos para otimizar essas áreas que serão voltados para a comunidade. “A igreja está em um ponto muito importante, onde passam várias pessoas, migrantes, refugiados e os/as que precisam da ajuda da igreja, enquanto a igreja está de portas fechadas”, compartilhou a pastora.

Nessa mobilização, a responsabilidade do Projeto SAF será utilizar o espaço renovado para oferecer às crianças os recursos que já desenvolve em vários pontos do Brasil, com a faixa etária de 6 a 14 anos de idade, enquanto as mães poderão ter acesso a capacitação profissional e aperfeiçoamento do português. Na reunião da CLAM, as mulheres da igreja lembraram de máquinas de costura paradas que voltarão a funcionar nas mãos daquelas que buscam essa formação.

Imagem: Fotos registradas mostram reformas necessárias no prédio / Foto: Eliad Santos

Metodistas de toda a região poderão participar desse projeto, e serão capacitados através da parceria com um grupo de igrejas irmãs que trabalham com pessoas em situação de deslocamento, a Casa Comum. Já é possível se candidatar como voluntário/a e fazer doações para essa iniciativa, basta entrar em contato com pastora Eliad Santos na Sede Nacional da Igreja Metodista, onde também funciona o escritório do Projeto Sombra e Água Fresca.

A pastora Eliad finalizou a entrevista compartilhando mais uma vez sua alegria em ver o projeto dando os primeiros passos, especialmente agora. “Eu voltei da reunião pulando pela rua. A ideia foi muito bem acolhida, estou muito animada porque é uma boa notícia no meio de tantas ruins. Bom poder, como igreja, fazer alguma coisa no atual momento que o Brasil vive”, enfatizou.

Entre em contato para ser um/a voluntário/a ou doar:

Sede Nacional da Igreja Metodista
Pastora Eliad Santos

Telefone: +55 11 2813-8622
E-mail: sede.nacional@metodista.org.br
Celular: +55 11 98618-6076

Sara de Paula
Redação EC


Tags: sem tags no momento!