Publicado por José Geraldo Magalhães Jr. em Notícia, Educação, Prêmios | 29/01/2019 às 13:11:07


Metodista recebe Grande Prêmio de Humanas da Capes


“Além de me formar na academia, a Escola Dominical foi muito importante na minha formação cristã”

A 13ª edição do Prêmio CAPES de Tese, que agraciou os 49 trabalhos de doutorado de maior destaque em cada área do conhecimento, defendidos em 2017, teve entre seus/suas ganhadores/as uma metodista.

Os grandes premiados da noite foram Andrey Coatrini Soares (USP), vencedor na área de Materiais e do Grande Prêmio de Exatas, e Luiz Ricardo da Costa Vasconcellos (UFRJ), de Ciências Biológicas III, que levou o Grande Prêmio das ciências biológicas. Vitoriosa na área de Educação, a metodista Andriele Ferreira Muri (PUC-RIO) recebeu o Grande Prêmio de Humanas. Outras 81 pesquisas receberam menções honrosas.

Nascida em Xerém, quarto distrito do município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense do estado do Rio de Janeiro, Andriele Ferreira Muri declarou sua alegria de compartilhar com a comunidade de fé a sua mais recente conquista acadêmica. Em entrevista ao Expositor Cristão, antes mesmo de falar sobre a premiação, Andriele fez questão de lembrar suas raízes e o relacionamento com a Igreja. “Sou metodista de berço e membro da Igreja Metodista em Mantiquira desde quando recebi o batismo infantil (acho que 1984, tenho até o certificado), fiz minha profissão de fé, me casei com o Diego, também metodista de berço, e é lá onde pretendo batizar a herança que o Senhor nos concederá em breve, o Pedro”, contou a gestante. “Sempre compartilhei e sigo compartilhando as conquistas com minha comunidade de fé. Esta última, a do prêmio, e também o fato de estarmos ‘grávidos’ e à espera do nosso primeiro filho, herança do Senhor, foram compartilhadas na Escola Dominical. É muito gratificante ver os/as irmãos/ãs se alegrando com a gente”.

Mesmo com o destaque na área acadêmica, ela reconhece que, apesar de muito focada, nunca foi uma aluna excepcional. “Nunca repeti um ano na escola, mas já fiquei de recuperação”, afirmou, prosseguindo com memórias de seu comprometimento com outra escola. “Sempre fui aluna da Escola Dominical e, na fase adulta, oficial. Fui professora da classe de jovens por muitos anos”, disse a metodista, que também atuou como presidente da sociedade local e sempre esteve envolvida com outras atividades da Igreja, como tesouraria e ministério da palavra. “A minha igreja local e eu reconhecemos meu chamado pastoral e eu cheguei a fazer o POV na Escola de Missões (IMFORM)”. Segundo Andriele, a Igreja a encaminhou em concílio e à continuidade dos estudos teológicos, mas ainda não foi possível iniciar a graduação em Teologia. “Pretendo fazer isso e me tornar, com a graça de Deus, uma pastora metodista”, compartilha. 

O pastor local, Weber Chaves, também celebrou a conquista. “Foi muita alegria, um momento muito prazeroso. É uma comunidade da Baixada Fluminense, e ter a honra de uma pessoa daqui fazer um trabalho desses é edificante”, afirmou o pastor.

Tese premiada traz valores metodistas
Com o título “Letramento científico no Brasil e no Japão a partir dos dados do PISA”, a tese se refere, em resumo, a um estudo comparativo do Ensino de Ciências do Brasil e do Japão a partir dos resultados do PISA, uma avaliação internacional de estudantes da qual o Brasil participa desde a primeira edição, que ocorreu em 2000. “O Brasil vai muito mal nas três áreas que o programa avalia: Leitura, Matemática e Ciências”, explicou Andriele, bacharela e licenciada em Biologia pela UNIGRANRIO, especialista em Ensino de Ciências, mestra em Educação pela UERJ/FEBF e doutora, também em Educação, pela PUC-Rio. “Minha tese e minha formação, enquanto educadora, recebem influência forte dos valores defendidos pela Igreja Metodista, sobretudo aqueles relacionados à Educação” contou. “Na minha igreja local, em especial, temos um comprometimento muito grande com a Escola Dominical. Você já deve ter ouvido falar do povo de Mantiquira e da nossa experiência”, disse a aluna da Escola Dominical ao afirmar que a igreja possui esse departamento consolidado.

“Além de me formar na academia, a Escola Dominical foi muito importante na minha formação cristã”, compartilhou. “Minha tese e minha formação bebem também de outros valores da Igreja Metodista, valores estes que andam meio perdidos, mas que se referem à liberdade de expressão, ao respeito ao próximo e ao serviço”. Segundo Andriele, ela defende em sua tese uma educação libertadora, a qual forma gente que pensa criticamente e que é capaz de participar ativamente das discussões cada vez mais presentes na sociedade e que impactam a vida de todos/as. “Eu cresci numa igreja assim, cercada de pessoas que são referência pra mim, preocupadas e comprometidas em ser uma igreja missionária a serviço do povo”, explicou.

A pesquisa de Andriele ainda perpassa por temas como a educação brasileira e se pauta constantemente em valores cristãos. “A minha pesquisa tem impacto direto na educação básica do Brasil, que é, na minha opinião, a ferramenta, o instrumento mais apropriado para a transformação do sujeito e da realidade em que ele vive”, afirmou. “Defendo uma educação que respeita o próximo e suas inclinações, livre de julgamentos e acepções. Novamente pautada em valores da Igreja Metodista, mas acima de tudo que se baseiam no caráter do mestre Jesus, defendo um país de oportunidade para todos/as, e não para uma minoria privilegiada. Defendo as bolsas, defendo as cotas, defendo as minorias”, enfatizou.

“A fé foi e é, literalmente, o firme fundamento das coisas que não se veem, mas se esperam. Eu não me via doutora, não me via professora adjunta de uma universidade federal, não me via obtendo o título mais importante da minha vida, que vou receber dentro em breve, o de mãe, mas espero e confio em um Deus de milagres, que é surpreendente e cujos pensamentos não consigo alcançar. Como é bom estar no centro da vontade do nosso Deus. Como é bom viver suas promessas para nós”, conclui Andriele. 

Sara de Paula

Publicado na edição de fevereiro de 2019 do Jornal Expositor Cristão impresso.

 


Tags: capes, premio,