Publicado por Sara de Paula em Notícias | 03/01/2018 às 15:12:09


Avanço missionário na 4ª Região Eclesiástica




No 43º Concílio Regional da 4ª Região Eclesiástica, a ação missionária foi um dos destaques no conclave, como também a expansão da Igreja na região. Segundo a estatística regional, a Região obteve um crescimento de 5,38% em 2015 equivalente a 2012 novos membros e 3,75% em 2016 resultando em 2,3 mil novas recepções. “Não é uma missão fácil, mas como disse Jesus Cristo: ‘maior é aquele que serve’. Disse o revmº Bispo Roberto Alves de Souza no relatório episcopal.

O Plano Regional de Ação Missionária apresentou propostas que irão nortear o avanço missionário na Região. O documento destaca: “A razão da existência da Igreja está exatamente no fato desta se expressar na sua ação missionária. Isto significa sinalizar e tornar cada vez mais presente, mais difundida, na história, na vida das pessoas, o Reino de Deus”.

Plantação de Igrejas

Nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo ao todo foram 29 trabalhos missionários iniciados, sendo 22 em terras mineiras e sete em terras capixabas. Na cidade de Pouso Alegre em Minas Gerais, o Rev. Douglas Bortone, no ano de 2014 iniciou o trabalho de plantação de igreja. “Nosso desafio foi estabelecer discípulos, buscando compreender o nosso papel na missão de Deus afim de gerar uma igreja relevante meio a cultura emergente que vivemos”. Disse.

Mesmo há cerca de 200km do campo missionário e ainda seminarista na Faculdade de Teologia (Fateo), iniciou as atividades nos lares durante seis meses. Em seguida, com o crescimento do número de pessoas que participavam dos trabalhos, logo estavam realizando celebrações no anfiteatro de um hotel da cidade. “Durante esse período, tivemos uma experiência muito proveitosa. Realizamos programa de rádio diariamente, participação em programas de TV local, ação social, formação de liderança e os primeiros batismos”. Afirmou Bortone. 

Presbíteros e missionários

Assim, com a expansão do campo missionário, cresce também as responsabilidades e desafios ministeriais. O pastor Bortone iniciou a missão em Pouso Alegre/MG ainda seminarista e hoje é presbítero eleito no 43º Concílio Regional. Quem também passou o período probatório em campo missionário foi o pastor André Yuri Gomes Abijaudi. “Pastorear um Campo Missionário não é tarefa fácil. Além das demandas pastorais existentes em uma igreja autônoma (cultos, pregações, atendimentos, aconselhamentos, etc.) há também muitas outras demandas e desafios”. Relata o o pastor do campo missionário distrital, no bairro Córrego do Ouro, na cidade de Santos Dumont, em Minas Gerais.

Sendo a missão levar salvação para o corpo e a alma, o pastor Abijaudi afirma que “há ainda os desafios de cuidar de pessoas que se encontram em situações de risco e fragilidade. Muitas pessoas que preocupam-se com o que comer e o que vestir. Pessoas com relacionamentos familiares complicados e que são, por isso, carentes de abraço e afeto”.

Esperança, fé e comprometimento é a motivação para o avanço missionário. “Acreditamos e trabalhamos para um metodismo forte e relevante no Sul de Minas, capaz de influenciar a cidade em direção a Deus, assim espalhar a santidade bíblica sobre toda terra na certeza que o mundo é a nossa paróquia. Declara o pastor Douglas Bortone. 

Billy Fádel
Pastor metodista e correspondente do EC na 4ª Região Eclesiástica
Publicado originalmente no Jornal Expositor Cristão de janeiro/2018. Acesse aqui.


Tags: sem tags no momento!