2017_10_banda

Lançamento de videoclipes com música gospel marca resultados do novo projeto. No início de 2017, o Colégio Metodista em São Bernardo do Campo adotou uma nova modalidade de oficina extracurricular ao oferecer a Oficina de Banda para alunos/as do 9º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. Ao longo de sete meses letivos, o grupo que se formou já tem apresentado resultados tanto musicalmente quanto no empenho escolar. Para contar um pouco dessa história, o Colégio e a banda lançaram oficialmente dois videoclipes com produção profissional, no dia 5 de setembro, na Universidade Metodista de São Paulo, marcando um dos frutos deste novo projeto.
.
Um diálogo entre o Pastor Wesley Teixeira, da Pastoral Escolar, a diretora do Colégio, professora Kênia Araujo Ferreira, e a responsável pelas oficinas extracurriculares, Alice Bravo Alves, explicou como a ideia dos videoclipes surgiu. “Foi no lançamento oficial da Banda, na celebração de aniversário do Colégio Metodista, que tudo começou. Após a apresentação musical do grupo, o diretor-geral da Educação Metodista, Robson Aguiar, se mostrou impressionado e fez o convite para a gravação dos clipes com a estrutura dos Estúdios de Rádio e TV da Universidade Metodista”, contaram.
.
O grupo, que por enquanto é chamado carinhosamente por amigos/as e professores/as de “Banda do Colégio”, é composto por Vitória Martins (vocal), Vítor Davi Gomes (guitarra), Guilherme Boreia (baixo), Gabriel Caruso (violão), Everton Rebello (violão e professor da oficina) e João Pedro Costa (bateria). Os/a alunos/a são do Ensino Médio e todos se encontram semanalmente para os ensaios. No repertório, há uma variação de gêneros que transita por gospel, MPB, clássicos, pop, entre outros.
.
2017_10_banda2Desde que se reuniram para participar da oficina extracurricular, os/a alunos/a não apenas curtem um som, mas têm percebido a importância do comprometimento, dedicação e esforço, levando estes valores para a sala de aula e aos estudos em casa. O baixista Guilherme é um dos que fazem esta afirmação: “Os ensaios exigem muito comprometimento e organização. Depois de um tempo, comecei a perceber que estava usando essa organização nas aulas e no preparo para as provas”, revelou.
.
Seu colega Vítor também contou suas percepções positivas: “Quando entrei para a banda, vi que era mais uma responsabilidade e comecei a pensar mais na escola. Fiquei pensando que no ano que vem já vou fazer o Enem e que tenho que acordar, me organizar”. Gabriel fez um comentário semelhante: “A banda me ajudou a me concentrar mais, encaminhar melhor os estudos”, afirmou. Há até quem passou a pensar no futuro profissional, como disse o baterista João Pedro: “Depois de ver tudo o que foi envolvido para fazer as gravações, todo o equipamento, organização e como o trabalho foi feito, até penso em fazer faculdade de Rádio e TV”.
.
Vitória diz que “as escolas focam muito em Humanidades, Biológicas, Exatas e as outras áreas, mas nem sempre em Arte. Talvez muita gente não tenha noção do quanto a música ensina. Para mim, isso era algo que faltava. Sempre tem aqueles/as que não se interessam por outras atividades, oficinas e ficam no seu canto, e saber que a escola está pegando talentos, tirando desse canto e mostrando para os/as outros/as, fazendo com que se pratique isso de uma forma boa, é algo incrível, porque os talentos precisam ser mostrados para o mundo. Não tem por que ter vergonha de participar”.
.
O professor Everton ainda revelou que “alguns/as professores/as vieram falar que até o comportamento deles/a (alunos/a) mudou, que a dedicação melhorou também para as outras matérias. E também acho que a interação e amizade entre eles/a estão crescendo cada vez mais”, afirmou o professor.
.
De acordo com a professora Kênia, diretora do Colégio Metodista, “a ideia de formar uma banda no Colégio é um sonho antigo, e esta oficina partiu de uma observação feita pela equipe pedagógica dos talentos e potenciais dos/as próprios/as alunos/as, o que trouxe a intenção de marcar a vida dos/as estudantes com uma experiência musical em sua escolarização”, explicou. Ela ainda completou dizendo que “tocar um instrumento desenvolve a atenção, concentração. Amplia o foco no que é essencial do que está sendo trabalhado”.
.
A noite do evento foi o momento de compartilhar grande parte de todo o trabalho desenvolvido com o grupo e, diante das famílias e amigos/as, foram apresentados os videoclipes com as músicas “Atos 2” e “Arde Outra Vez”, que, conforme a equipe do Colégio, são, além de resultados do projeto, “novas possibilidades de levar o louvor a Deus para diferentes espaços, uma vez que as músicas falam do amor do nosso Pai”. Mas as atividades da banda não param por aí. Ainda neste semestre, algumas apresentações ao vivo devem acontecer, dando se­quência e “encorpando” mais o projeto da oficina de desenvolvimento musical e empenho escolar.

Marcello Ferreira
Educação Metodista
Educação Básica
Publicado originalmente no Expositor Cristão de outubro/2017
.