2017_09_vozmissionaria

Era uma vez uma mulher com uma VISÃO e um SONHO. Miss Leila Epps tinha uma visão do potencial da mulher metodista brasileira e a contribuição que ela poderia dar à Igreja. Sonhou com uma revista que unisse as mulheres metodistas de todo o Brasil no mesmo ideal de servir, capacitando-as e inspirando-as para o trabalho a ser realizado. Miss Leila Epps compartilhou esse sonho e, de repente, o sonho se tornou rea­lidade: em 18 de setembro de 1929, quando um pequeno grupo de mulheres, representando suas Federações das antigas Sociedades Missionárias Femininas, reunido na Igreja Metodista Central de São Paulo, hoje Catedral Metodista de São Paulo, resolveu criar uma revista que fosse o elo entre as mulheres metodistas brasileiras. Nascia a revista VOZ MISSIONÁRIA.
.
Essas mulheres foram inspiradas por Deus para esse projeto – em um período em que as mulheres sequer tinham direito ao voto (As mulheres brasileiras só tiveram direito ao voto, sem qualquer restrição, em 1934.) Aquelas mulheres tiveram a visão de um novo tempo para as mulheres metodistas.
.
A VOZ MISSIONÁRIA nasceu pequena e humilde, porém cercada de carinho e de atenção daquelas mulheres dinâmicas e idealistas. Foram elas: Eula Kennedy Long e Mercedes Seabra, pela Federação do Sul; Lídia W. Silva e Gláucia W. Duarte, pela Federação do Centro; Ottília de Oliveira Chaves e Nair Guedes Martins, pela Federação do Norte; Miss Leila Epps, missionária norte-americana, sua inspiradora e que tinha a incumbência de assessorar as mulheres no trabalho da Igreja. Foram essas sete mulheres de coragem e visão que perceberam a importância de se criar um meio de comunicação eficiente, que atendesse à necessidade de unir as centenas de Sociedades espalhadas pelo Brasil em torno de metas e desafios.
.

História
.
O nome da revista está ligado ao “ideal missionário da mulher metodista, tendo por missão a propagação do Evangelho, a divulgação de conhecimentos, de orientação, de educação, levando a todos mensagens edificantes” (fala de Ottília Chaves). Ottília compartilha como foi o clima da criação da revista: “estas mulheres, apesar de entusiasmadas, sentiam certo alvoroço em seus corações, porque não havia recursos financeiros suficientes e nem podiam prever a reação das mulheres diante da revista”. Em janeiro de 1930, com os recursos financeiros de Leila Epps, imprimiu-se, a título de experiência, mil exemplares, com doze páginas, distribuídos pelas três Federações.
.
Dois anos após a criação da revista instituiu-se a função de agentes locais. Esta iniciativa, pioneira nos meios de comunicação, foi o primeiro passo vitorioso. A partir daí, a VOZ MISSIONÁRIA foi alçando voo e se espalhando por todo o Brasil nessa linda história de 88 anos. A grande inovação da revista foi a figura da agente local, com seu trabalho voluntário. O voluntariado contribui para um mundo mais justo e mais solidário. No caso da VOZ MISSIONÁRIA, as agentes voluntárias são responsáveis pela divulgação da revista. Mais uma inovação das mulheres desde seu início.
.
Sabemos que ter uma publicação que sobreviva em um mercado competitivo durante tanto tempo é um grande desafio para as mulheres metodistas. Mas temos a certeza de que a revista tem como missão divulgar a grande mensagem do amor de Deus. A cada edição, comprova que inspira a vida, pois tem alcançado várias gerações que proclamaram e experimentaram o amor de Deus, em Jesus Cristo em suas vidas, por intermédio da leitura dos textos publicados ao longo desses 88 anos.
.
Sonhamos e trabalhamos para que a nossa revista alcance mais e mais pessoas que possam desfrutar do seu conteúdo e que a VOZ MISSIONÁRIA continue deixando um rastro. O que é rastro? Vestígio, pegada ou sinal deixado ao caminhar. “Que a Voz possa deixar um ‘rastro’ perfumado, perfume de vida para vida, no encanto de suas páginas que contaram e contam parte significativa da história da mulher metodista brasileira” – Percival de Souza, articulista da revista.
.
Há 88* anos a revista VOZ MISSIONÁRIA exerce seu compromisso com as mulheres metodistas, dando sequência ao sonho de Miss Epps. Nosso compromisso maior é com Deus e com a missão de ser Voz que anuncia o amor de Deus, que salva, restaura, transforma e renova. E ainda temos um sonho: que toda mulher metodista seja assinante da revista e que mais vidas possam ser alcançadas por este instrumento que semeia, comunica e propaga a fé cristã.
.

Amélia Tavares | Redatora da revista VOZ MISSIONÁRIA
Publicado originalmente no Expositor Cristão de setembro/2017