2016_02_aventureiros_talitaA palavra esperança vem do latim sperare, sentimento que leva o homem e a mulher para o futuro, sendo assim, fico pensando se estamos tendo esperança em relação aos nossos filhos, filhas, uma vez que muitos pais estão delegando a educação dos/as seus/as filhos/as à igreja, à escola, à babá… E como agravante, muitos pais dizem uma coisa e fazem outra, pedem para a criança não mentir e mentem. Palavras precisam andar junto de atitudes, lembrando que as crianças aprendem pelo exemplo.
.
Cada pai e mãe precisa avaliar se estão cumprindo o seu papel de ensinar à criança o caminho em que deve andar, em Dt 6.7 lemos que a responsabilidade de instruir, de ensinar é dos pais. Tu as inculcarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa e andando pelo caminho e ao deitar-te e ao levantar-te. Portanto, se estamos terceirizando a educação dos nossos filhos, filhas, precisamos pedir perdão a Deus e voltarmos ao Evangelho. A esperança de um mundo melhor precisa caminhar junto de um ensino eficaz da palavra de Deus, para que eles/as tenham seu caráter forjado na sabedoria que vem do Senhor. Voltemos ao Evangelho, caso contrário teremos uma geração de mimados/as, corruptos/as.
.
A criança precisa ser vista não apenas como o futuro da nação, da igreja ela já é o agora, o hoje. Ela é reino, se delas é o reino, que tipo de reino estamos formando? Reino de amor, paz, justiça… Ou Reino das trevas? Segundo o dicionário Aurélio, esperança é o sentimento de quem vê como possível a rea­lização daquilo que se deseja. O que estamos desejando para o futuro da nação? Adultos/as bem preparados/as, sábios/as ou adultos/as tolos/as, corruptos/as, mentirosos/as? Pensemos nisso!

.

Equipe DNTC
Publicado originalmente no Expositor Cristão de setembro/2017