Plenário da Câmara rejeitou autorização para STF investigar denúncia contra o presidente Michel TemerWilson Dias/Agência Brasil

Plenário da Câmara rejeitou autorização para STF investigar denúncia contra o presidente Michel TemerWilson Dias/Agência Brasil

Em pronunciamento oficial no dia 2 de agosto, Michel Temer falou sobre as reformas propostas pela presidência, que devem seguir após a rejeição de denúncia por corrupção passiva.

Temer citou as reformas que tem feito, como a modernização trabalhista, além da queda da inflação e dos juros, que têm ocorrido durante seu governo. “Nós faremos muito mais ao colocar, como estamos fazendo, as nossas contas em ordem, de forma definitiva e equilibrada. E faremos também todas as demais reformas estruturantes que o país necessita”.

O presidente fez seu pronunciamento logo após o final da votação que rejeitou a denúncia contra ele. O relatório do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), favorável à rejeição da denúncia, foi aprovado por 263 deputados. Contra o relatório votaram 227 deputados. Para a denúncia seguir ao Supremo Tribunal Federal (STF), o relatório deveria ter sido rejeitado por 342 deputados.

Esse ano, a Igreja Metodista no Brasil, ao lado de outras igrejas históricos e movimentos sociais, se posicionaram contra uma das reformas propostas pelo governo. Leia agora. Por meio do seu veículo oficial, a organização já abordou o tema, tanto no Jornal Expositor Cristão no mês de abril, como no podcast Giro de Notícias, que traz as principais notícias metodistas da semana. Ouça agora.

Redação EC
Com informações de Agência Brasil