2017_07_enpp1

Capacitação, reencontros e ministrações da Palavra de Deus foram os pontos fortes no Encontro Nacional de Pastoras e Pastores (ENPP), que reuniu 702 pessoas, entre corpo pastoral e equipe de trabalho, em Aracruz/ES, nos dias 13 a 16 de junho.
.
O que se ouvia nos corredores era que a liderança pastoral precisava desse tempo de renovo espiritual, além das duas preletoras no encontro, a missionária Edméia Williams, do Rio de Janeiro, e a Pastora Lizette Gabriel, de Porto Rico, que trouxeram grandes contribuições para o evento, que acontece a cada cinco anos na vida da Igreja. Todas as Regiões Eclesiásticas (RE) e Missionárias enviaram seus/as representantes. A 4ª RE, anfitriã do ENPP, foi a que teve mais representatividade, foram 139 pessoas.
.
Houve dois dias de capacitação na parte da manhã. Foram seis oficinas oferecidas nos dias 14 e 15, as quais você confere na página 10.
.

Abertura
.
Quem abriu o evento foi o vice-presidente do Colégio Episcopal, Bispo José Carlos Peres. Ele reafirmou a importância de ser amigo de Deus. “Intencionamos trazer um pouco mais de motivação ministerial para o corpo pastoral”, disse o Bispo. Ele iniciou com uma afirmação da Coletânea de John Wesley – Vós sois a luz do mundo e uma cidade edificada sobre o monte: “Não se pode esconder a luz e a cidade edificada no monte. Do mesmo modo, não se pode esconder o/a cristão/ã. A vossa santidade se torna tão visíveis quanto o sol do meio-dia. Como não podeis sair do mundo assim, não podeis ficar nele sem serem vistos por toda a humanidade”.

2017_07_enpp3

Celebração da Ceia do Senhor ocorreu no primeiro culto do encontro.

O Bispo Peres afirmou que a amizade de Deus é cumprir a vontade dEle. Foram destacados três personagens na Bíblia como sendo amigos de Deus: Abraão, Davi e João Batista. Segundo o Bispo, os três têm algo em comum: “a obediência que receberam de Deus. Aqui entra também o ministério pastoral de cada um/a que está aqui no encontro”, alertou o Bispo no primeiro dia. Após a pregação do Bispo Peres, o corpo pastoral participou da celebração da Ceia com um ato de comunhão.
.
Quem cuidou dos momentos de louvor e adoração durante todo o encontro foi o músico, compositor e pastor da Comunidade da Graça, Adhemar de Campos. Várias músicas e versões do cantor, como Grande é o Senhor, Nosso General, Ele É Exaltado e Leão da Tribo de Judá, são cantadas nas igrejas evangélicas espalhadas pelo Brasil afora. Ao todo, Adhemar tem um repertório com quase 600 músicas de sua autoria. Mais detalhes sobre o ministério do músico você confere na entrevista publicada nesta edição (página 11) durante o ENPP 2017.
.

Palestrantes
.
Uma das palestrantes convidadas foi a missionária Edméia Williams. Ela ministrou na noite do dia 13 e na manhã do dia seguinte. Edméia destacou a importância das experiên­cias de fé com o Espírito Santo. Segundo ela, Deus disse para ela pregar somente sobre um tema este ano. “Deus me disse para pregar somente sobre o Espírito Santo e suas ações. Assim tenho feito para onde vou”, disse. A missionária foi fundadora da Casa Maria e Marta, no Morro Dona Marta, no Bairro Botafogo/RJ, nos anos 1990. O projeto atende crianças e adolescentes no morro.
.

2017_07_enpp4

Tempo de oração e gratidão no Encontro Nacional de Pastoras e Pastores.

Ela explica que iniciou com um pequeno grupo de crianças e adolescentes no pé do morro. “Comecei com as crianças na parte baixa da rua porque ninguém podia subir; nem mesmo a polícia. O morro Dona Marta era a favela mais violenta do Rio. Eu levava lanche, suco e violão. Cantava um pouco e depois nós fazíamos a oração. Um dia faltou um menino e perguntei se não poderíamos subir. Eles me levaram e nunca mais desci”, testemunhou a missionária que atende cerca de 170 crianças e adolescentes.
.

A presidente do Conselho de Igrejas Evangélicas Metodistas da América Latina e Caribe (CIEMAL) há quatro anos e pastora em Porto Rico há oito, Lizzette Gabriel, ministrou em dois dias do encontro.

.
“Este é um momento e um privilégio especial, porque nós, pastores e pastoras, necessitamos de capacitação. É um desafio, uma bênção, mas também uma responsabilidade de ministrar a palavra para os/as metodistas no Brasil”, disse Lizzette.

.
A Pastora Lizette inspirou-se no texto de Atos 8.26-40, passagem que narra a história de Felipe e o Eunuco, e Atos 1.8, para refletir sobre o tema da Igreja Metodista a ser trabalhado em 2017: Discípulas e discípulos nos caminhos da missão alcançam cidades. “O texto de Atos 8 apresenta quatro personagens que nos ensinam a alcançar cidades. É quando Jesus pronuncia o plano missionário de Deus.

2017_07_enpp2
Em todos os momentos a Pastora Lizette enfatizou sobre o plano missionário de Deus. “O primeiro plano de Deus está em Jerusalém para alcançar o seu povo, em segundo lugar é preciso ir à Judeia. É interessante que Jesus começou seu ministério na periferia. Jesus nos convida a exercer seu ministério onde ele iniciou também. Em terceiro lugar, Jesus nos convida a ir à Samaria e, Samaria não era considerada como povo de Deus. Era um povo não aceito por judeus. Então, no plano missionário de Deus, Samaria é a primeira surpresa. Em quarto lugar, os confins da terra, que é conhecido como lugar de pagãos/ãs, de insegurança e medo. É difícil de acreditar que chegasse a missão de Deus naquele lugar, mas ali estava a Etiópia, a terra do Eunuco. No Plano de Deus há lugar para todos/as”, destacou a pastora Lizette.
.
A Pastora de Porto Rico já ministrou outras vezes para a liderança metodista. Ela participou do 20º Concílio Geral, realizado em Teresópolis/RJ, em julho do ano passado, onde ministrou sobre a Videira Verdadeira narrada no capítulo 15 do evangelho de João.

Pregação
.
A Bispa Hideide Brito Torres ministrou a Palavra de Deus no terceiro dia do encontro. Inspirada no texto de Rute 1.16-17, ela enfatizou alguns princípios de relacionamentos. “Rute nos ensina o princípio da parceria quando diz: ‘O seu povo é o meu povo’”, e prosseguiu: “É muito difícil estabelecer relacionamentos quando certos paradigmas estão rodando e temos que lidar com eles de maneiras diferentes. Claro que na Igreja Metodista há o princípio da itinerância, mas enquanto você estiver naquele lugar, ame o povo daquele lugar, porque Deus não vai fazer transformação sem amor. Temos que aprender a amar as pessoas”, destacou a Bispa Hideide.
.
De acordo com a Bispa, o/a pastor/a nunca deve sentir-se como estrangeiro/a onde está sendo nomeado/a. “Rute teve uma disposição de aliança e coloca Deus à frente: faça-me o Senhor o que bem quiser, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti. Para viver uma amizade verdadeira é preciso sacrificar a agenda e ir ao encontro da outra pessoa, é preciso tomar um café que pode parecer tão desnecessário em certos momentos”, disse.
.
A Bispa Hideide chamou atenção várias vezes para a construção de relacionamento no ministério pastoral. “Reconheça o ministério do colega. Quando você puder fazer isso com honestidade, faça-o; às vezes você estará transformando a amargura dele/a em doçura novamente. Quando tiver oportunidade, fale publicamente para fortalecer o ministério de seu irmão e irmã”.
.
Ouvia-se pelos corredores os comentários positivos relacionados à mensagem da Bispa. A Pastora Suzana Dias da Região Missionária da Amazônia conversou com o Expositor Cristão logo após a mensagem. “Muito interessante a visão que a Bispa trouxe sobre o cuidado com o/a pastor/a. Tenho visto essa necessidade de cuidar de outras pessoas que precisam de cuidado e apoio. A Bispa trouxe um alerta para todos/as nós”, disse a Pastora Suzana. No final da mensagem houve uma renovação de votos conduzida pela Bispa Marisa de Freitas Ferreira com todos/as os/as pastores/as presentes.

2017_07_enpp5

Angular Editora esteve presente com as publicações da Igreja Metodista.

No encerramento do encontro, dia 16, pela manhã, o presidente do Colégio Episcopal, Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa, inspirou-se nos textos de Atos 17.1-9 e Habacuque capítulo 3 para refletir sobre o ressignificado do ministério pastoral.
.
O Bispo Luiz resgatou, em um dos momentos da mensagem, os pilares do Quadrilátero Wesleyano: Razão, Experiência, Tradição, Criação e a Bíblia ao centro. “O pastorado metodista tem carisma e tradição centrados na Palavra de Deus. Por isso, nosso ministério promove vida”, disse o Bispo Luiz Vergílio.
.

Cobertura
.
A equipe do Expositor Cristão esteve presente no encontro produzindo reportagens, entrevistas, boletins diários, além de gravar as oficinas e pregações. Ao todo foram quase 50 vídeos produzidos durante o evento. Todos os materiais foram disponibilizados na semana posterior ao encontro no site da Sede Nacional da Igreja Metodista e no site do Expositor Cristão em www.expositorcristao.com.br, com exceção dos boletins, que eram liberados pelas manhãs com o resumo do dia anterior.
.

José Geraldo Magalhães
Publicado originalmente no jornal Expositor Cristão de julho