Ben Stansall / AFP/JC

Ben Stansall / AFP/JC

A Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária (FPMRAH) e Ajuda Humanitária e a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (ANAJURE) emitiram uma nota pública sobre ataque na Inglaterra. Confira o texto abaixo na íntegra.

A Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária e a Associação Nacional de Juristas Evangélicos, por seus respectivos representantes, vem, através do presente expediente, expor ao Governo Brasileiro, à Comunidade Internacional e, sobretudo, ao Governo e à população do Reino Unido, as suas condolências e o seu repúdio com relação ao que adiante se explicita:

1) Como noticiado pela imprensa internacional, em Londres, na noite do último sábado (03/06/2017), três homens promoveram ataques a pessoas aleatórias, inicialmente através do atropelamento das primeiras vítimas na ponte de London Bridge, partindo em seguida para a região de Borough Market onde esfaquearam várias outras vítimas[1], em atuação semelhante ao ocorrido no mês de março, próximo ao Parlamento britânico[2];

2) Vale ressaltar que recentemente ocorreu outro ataque na Inglaterra quando, há duas semanas (22/05/2017), durante um show musical na cidade de Manchester, um homem-bomba se posicionou entre o público, cuja maioria era composta de adolescentes e jovens, atingindo fatalmente 22 vítimas e ferindo muitas outras[3];

3) Ocorrências como essas não se tratam de situações desconexas, mas fazem parte da tentativa de subversão da ordem internacional por parte de grupos extremistas. Nos citados casos, o grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou a autoria dos ataques, quer por influência ou coordenação das ações;

4) Ataques assim tem incrementado a sensação de insegurança e aumentado o nível de alerta entre as entidades de segurança ao redor do mundo[4].

5) Diante disso, expressamos que toda forma de violência é inaceitável, quanto mais a que fomenta o medo generalizado e gera tantas mortes de pessoas que são atacadas enquanto seguem inocentemente suas vidas. Acreditamos que esses ataques não são apenas contra as vítimas diretas, feridas literalmente por estes insanos representantes do terror, mas também contra todos que estamos atingidos em nossa condição de coexistir pacificamente em sociedade. Igualmente, não apenas a Inglaterra (Reino Unido) foi atacada, mas todo Estado que visa resguardar a segurança dos que estão sob sua tutela.

6) Por fim, ressaltamos que o Governo brasileiro tem se manifestado no sentido de condenar ataques como estes e se solidarizar com os entes atingidos e as vítimas[5]. Agradecemos pelo importante papel que o Brasil tem no cenário internacional ao se posicionar como defensor das liberdades civis fundamentais, inclusive a liberdade religiosa, que deve ser assegurada a todos, em todo o mundo, sem que nenhum credo seja imposto ou usado como fundamento para violência.

Brasília- DF – Brasil, 05 de junho de 2017.
Deputado Federal Leonardo Quintão
Presidente
Frente Parlamentar Mista para Refugiados e Ajuda Humanitária -(FPMRAH)
Dr. Uziel Santana dos Santos
Presidente
Associação Nacional de Juristas Evangélicos – (ANAJURE)

________________________________

[1] NEW YORK TIMES. Another Terrorist Attack Strikes the Heart of London. Disponível em: <https://www.nytimes.com/2017/06/03/world/europe/london-bridge-van.html >. Acesso em 05 de maio de 2017.

[2]  THE GUARDIAN. London attack: what we know so far. Disponível em: <https://www.theguardian.com/uk-news/2017/mar/22/attack-houses-parliament-london-what-we-know-so-far >. Acesso em 05 de maio de 2017.

[3]  NEW YORK TIMES. Ariana Grande Manchester Concert Ends in Explosion, Panic and Death. Disponível em: <https://www.nytimes.com/2017/05/22/world/europe/ariana-grande-manchester-police.html>. Acesso em 05 de maio de 2017.

[5] AGÊNCIA BRASIL. Temer presta condolências ao Reino Unido após ataque em Londres. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2017-03/temer-presta-condolencias-ao-reino-unido-apos-ataque-em-londres>. Acesso em 05 de maio de 2017.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O DOCUMENTO EM .PDF.