Ben Stansall / AFP/JC

Ben Stansall / AFP/JC

Os líderes da Igreja Metodista Britânica estavam entre aqueles que oravam pelas famílias de jovens, vítimas do atentado de 22 de maio, em um local de concertos em Manchester, Inglaterra. O reverendo Roger Walton, presidente, e Rachel Lampard, vice-presidente da Conferência Metodista Britânica, juntaram-se aos outros para expressar o horror que sentiram, ao saber que jovens e a crianças foram alvos quando deixaram um concerto de Ariana Grande, no Manchester Arena.

O ataque de um homem-bomba suicida já causou 22 mortes e feriu quase 60 pessoas. A BBC chamou de “o pior ataque terrorista na Grã-Bretanha desde os atentados de 7 de julho em Londres, em 2005.

“Damos graças pelos serviços de emergência e pelas muitas pessoas comuns que demonstraram compaixão em responder aos resgatados na tragédia”, disseram Walton e Lampard. “Nós pedimos ao povo Metodista para manter o povo de Manchester ainda mais em suas orações como nos lembramos as palavras do Salmo 34:14, “Afaste-se do mal e faça o bem; busque a paz com perseverança”.

O Rev. Andrew Lunn, presidente do distrito de Manchester e Stockport, e o Rev. Paul Martin, presidente do distrito de Bolton e Rochdale, disseram que os metodistas na área de Manchester “estão unidos com muitos outros no seu sentimento de choque e em suas orações por todos aqueles que foram enlutados, feridos ou traumatizados”.

Lunn e Martin comentaram sobre o #WeStandTogether, um movimento em Manchester que atrai pessoas de muitas religiões e origens. “Em uma cidade diversificada, uma coisa que podemos ter certeza é que as pessoas em Manchester não vai deixar que este evento nos divide”, escreveram.

A Rev. Kathleen LaCamera, uma ministra metodista unida e membro da Conferência de Nova York que vive na área de Manchester, chamou o bombardeio de “um acontecimento terrível e terrível em todos os sentidos”.

LaCamera, um hospital e capelania de saúde mental, se ocupou em responder às necessidades da comunidade no dia seguinte ao ataque, com sua equipe, que fica a apenas 5 milhas do Manchester Arena.  A capela do Metodista Central Hall no Bairro Norte da cidade estava aberta durante o dia para reflexão e oração.

Thomas Kemper, alto executivo do Conselho Metodista Unido de Ministérios Globais, enviou uma mensagem de solidariedade à Igreja Metodista na Grã-Bretanha. “Que possamos combater a violência e o ódio em todos os lugares e superar o mal com amor”, disse ele. “Não há outro caminho.”

Os principais executivos do Conselho Mundial de Igrejas e da Conferência das Igrejas Europeias emitiram uma declaração conjunta encorajando a oração e a solidariedade com as vítimas de bombardeio e seus entes queridos.

“Honramos um Deus que dá vida, que sustenta e redime”, dizia o comunicado. “Tais horrores, como aconteceu na noite passada, nos encorajam a afirmar esta verdade ainda mais fortemente”. Os seis presidentes das Igrejas na Inglaterra, cujos membros incluem a Igreja Metodista, ofereceram orações por força e coragem.

“Nossa fé nos ensina que mesmo os piores dos males nunca podem derrotar o amor, por isso oramos para que o povo de Manchester, de todas as religiões ou nenhuma religião, descubra uma unidade renovada ao responder a esta atrocidade com compaixão, dignidade e esperança”.

Linda Bloom
Editora assistente de notícias para o United Methodist News Service
Publicado originalmente no site da United Methodist Church