2017_05

Encontramos vários relatos na Bíblia sobre a questão de migrantes; pessoas que migram de um lugar para o outro por diversas razões. Nós mesmos/as migramos muitas vezes quando mudamos de cidade, estado ou até mesmo, quem sabe, você já migrou de uma denominação para outra. Ao migrar, claro, levamos em nossas bagagens a cultura local e regional. O processo de adaptação nem sempre é tão fácil.

Nesta edição procurei abordar o tema de imigrantes e refugiados/as devido a uma pauta que surgiu no mês de abril em Araçariguama, cidade que fica a 60 quilômetros de São Paulo. Foi um encontro com umas 30 pes­soas que trabalham com imigrantes e refugiados/as de várias partes do mundo em suas igrejas locais. Pude conversar com o presidente do Refugee Highway Partnership (RHP), Brian O’Connell, e com outras lideranças que estiveram presentes discutindo sobre o assunto. Nesse encontro havia dois pastores metodistas que estão envolvidos nessa causa.

É importante a Igreja estar atenta sobre essa pauta, tendo em vista que o número de pessoas que migram para o Brasil só tem aumentado, principalmente nos últimos dez anos. Só para ter uma ideia, a guerra na Síria entra no sexto ano consecutivo e já soma mais de 5 milhões de refugiados/as, que tiveram que cruzar fronteiras internacionais em busca de proteção. Outros 6,6 milhões de pessoas estão deslocadas internamente na Síria.

Os números foram apresentados pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), que realizou no final de março, em Genebra, uma conferência especial para debater a situação e o destino dos/as refugiados/as sírios/as. Foram 92 países, agências da ONU, 10 organizações intergovernamentais e 24 ONGs que participaram e concordaram ao dizer que o mundo vive a maior crise humanitária da história com os/as refugiados/as.

Apesar de a Organização das Nações Unidas (ONU) não fornecer mais os números de mortos/as na guerra há alguns anos, as organizações humanitárias que atuam na Síria estimam que entre 300 mil e 400 mil pessoas já morreram por culpa da guerra. Razão pela qual muitas pessoas acabam optando migrar para outros países para reconstruir suas vidas.

Você confere também nesta edição o artigo do Pastor Jorge Luiz Domingues, que aborda o encontro de Jesus com a refugiada síria para pensarmos sobre o cuidado com o/a estrangeiro/a. É nesse contexto que a igreja é chamada a seguir o exemplo de Jesus e assistir a refugiados/as e imigrantes, independentemente de sua religião. A história do povo de Israel é uma história de migração.

Pr. José Geraldo Magalhães
Editor-chefe | Expositor Cristão

 

Baixe agora em .PDF. 

Leia abaixo on-line. 

Comentários