liderancas

A Catedral Metodista de São Paulo recebeu no dia 12 de fevereiro mais de 250 pessoas para o ato de posse e consagração da Coordenação Geral de Ação Missionária (Cogeam) e do Colégio Episcopal (CE) – colegiados que foram eleitos no 20º Concílio Geral. A celebração também foi destinada para a entrega de Títulos da Ordem do Mérito Metodista e para prestar homenagens a quatro personalidades metodistas pelos relevantes serviços prestados à vida e missão da Igreja.

O Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa, presidente do CE no próximo quinquênio (2017-2021), em sua prédica, citou John Wesley a respeito da frase dita no século XVIII, “O mundo é minha paróquia”, para fazer um questionamento: “Qual tem sido a paróquia dos/as metodistas hoje?”.

O Bispo recordou as eleições das lideranças clérigas e leigas no 20º Concílio Geral. “Neste culto de posse, nós damos continuidade de consolidação das decisões conciliares para a nossa atuação em terras brasileiras. Os atos de posse podem muitas vezes suscitar a transferência ou aquisição de poder institucional”, destacou.

O exercício de poder, segundo o Bispo Luiz, exerce distâncias de quem define, quem determina, representa e de quem faz. O Bispo foi além do texto bíblico para falar sobre o poder. “Peço permissão para citar alguém, agnóstico, mas que refletiu muito sobre o poder, o filósofo Michel Foucault. Em seu livro Microfísica do Poder, ele nos lembra que o poder não é algo que se detém como alguma coisa ou uma propriedade que se possui ou não. Rigorosamente falando, o poder não existe. O que existe, de fato, são práticas ou relações de poder. O Poder que recebemos é um poder para servir que administramos coletivamente”, disse o Bispo Luiz complementando que os cargos são transitórios na vida da Igreja.
catedralsp
Durante a celebração, o Bispo Adonias Pereira do Lago fez o momento de gratidão pela Cogeam (2012-2016). “Com certeza procuramos fazer o melhor na vida e missão da Igreja. Não fizemos tudo o que gostaríamos, mas procuramos fazer o melhor com muita alegria e dedicação”, disse. Logo após, o Bispo Adonias chamou a Cogeam eleita no 20º Concílio Geral para o momento de consagração.

Solange Aparecida de Almeida, 72 anos, nunca havia presenciado um ato de posse e consagração da Cogeam e do Colégio Episcopal, mas entende ser este um momento importante na vida da Igreja.

“A palavra do Bispo Luiz deve ter mexido com muita gente que pensa que os cargos na Igreja são eternos. Na verdade, os dons são de Deus. Hoje você ocupa um ministério e amanhã pode não ocupar mais porque Deus quer te usar em outro lugar. Bobagem, pura bobagem; deixa Deus te usar e pronto”, disse Solange.

Homenagens e Gratidão

ordem-do-meritoO título de Bispo Emérito foi concedido aos Bispos Paulo Tarso de Oliveira Lockmann e Carlos Alberto Tavares Alves no 20º Concílio Geral realizado em julho de 2016. Já o 19º Concílio Geral concedeu o título de Bispo Emérito ao Bispo Adriel de Souza Maia, em 2011, mas ainda não havia sido realizado um culto de gratidão e homenagens pela vida do Bispo Adriel.

Quatro pessoas receberam homenagens pelos relevantes serviços prestados à vida e missão da Igreja, entre elas, o Secretário do CE, Bispo Honorário Stanley da Silva Moraes – título concedido no 20º Concílio Geral; o casal de missionários Gordon Lee Great­house e Maria Tereza Raposo Greathouse, que trabalham há 15 anos com o Projeto Sombra e Água Fresca – eles receberam a homenagem concedida pela Cogeam (2012-2016), e a educadora Mariluse Helena Maia, que também recebeu a homenagem concedida pela Ordem do Mérito Metodista.

O Bispo Paulo Tarso de Oliveira Lockmann destacou a gratidão de receber os ensinamentos na infância. “Não existe igreja melhor que a Igreja Metodista. Quem discorda dela que vá procurar outra. Tenho tido muita alegria de servir a Igreja dentro daquilo que recebi na minha infância como padrão na Igreja”, disse o Bispo Lockmann, que atuou por quase 30 anos como Bispo da Igreja.

Para o missionário Gordon Greathouse, a conquista do título não veio sozinha. “Com certeza é uma grande honra, mas é um privilégio estar junto com as igrejas locais dos Estados Unidos, que têm nos apoiado e, principalmente, os/as voluntários/as do Projeto Sombra e Água Fresca aqui no Brasil. Somos um grupo muito maior. Somos parte de uma comunidade que tenta servir as crianças do Brasil que precisam muito de ajuda”, disse Gordon.

A alegria da esposa Maria Tereza, a Têca, é ver os projetos pelo Brasil afora com pessoas que fizeram parte do projeto e hoje são voluntárias. “Acredito que a maior fonte de felicidade é saber que temos Projetos do Sombra e Água Fresca que são 100% coordenados por pessoas que faziam parte do projeto”, afirmou.

Para quem iniciou trabalhando na Igreja ainda na adolescência como professora de Escola Dominical, a honra recebida é devolvida para sua região de origem. “Aos 14 anos eu já era professora da Escola Dominical de crianças e juvenis. Depois, ao lado do Bispo Adriel, eu recebia as flores e ele as honras. Agora, ao receber essa honra, eu entrego as flores à 4ª Região Eclesiástica que me concedeu essa homenagem e a todas as pessoas que me fizeram ser como eu sou”, disse a educadora Mariluse Helena Maia, esposa do Bispo Adriel Maia.

Oração pelos governantes

Entre os momentos da liturgia, Bispos e Bispa fizeram questão de trazer os problemas sociais diante das lideranças ali representadas. Foi lembrado o estado de calamidade pública no Espírito Santo e Rio de Janeiro. Já sobre a cidade de São Paulo, a Bispa Marisa de Freitas Ferreira se referiu ao corte no Transporte Escolar Gratuito (TEG) a partir de fevereiro na gestão do atual prefeito João Doria Junior (PSDB).
“Essa situação revela um problema de caráter. A questão aqui não é que sou a favor ou contra o João Doria”, afirmou a Bispa Marisa de Freitas durante o momento de confissão. Ela pediu que todas as pessoas presentes dobrassem os joelhos e confessassem os pecados dos governantes dos Estados do Espírito Santo e São Paulo.

A gestão João Doria (PSDB) disse, por meio de nota, que o corte é para fazer o recadastramento dos/as alunos/as da rede municipal que têm direito ao transporte gratuito. Ao final do processo de recadastramento, diz a nota, os pais de alunos/as que tiveram o benefício cortado poderão recorrer às diretorias regionais de ensino. Só não diz quando, de fato, o recadastramento acaba.

De acordo com a prefeitura, as regras para os/as alunos terem o TEG estão mantidas, ou seja, ter até 12 anos, ter defi­ciência ou problemas crônicos de saúde, morar distante da escola (mais de dois quilômetros) e enfrentar barreira física para ir à escola.
ordemdomerito
O Bispo José Carlos Peres questionou a atitude do poder público, que coloca a vida da população em risco ao se referir sobre a situação dos Estados do Espírito Santo e do Rio de Janeiro. “Sabemos que a graça de Jesus precisa alcançar os povos. No Espírito Santo eles estão passando pela Crise da polícia. No Rio de Janeiro é a mesma coisa. Não criticamos o direito de fazer greve, mas podemos criticar o que coloca a população em risco. O povo precisa da polícia para andar com dignidade pelas ruas com segurança”, destacou o Bispo Peres antes de um momento de clamor conduzido pelo Bispo Paulo Rangel, pelos dois Estados.

O site da 1ª Região chegou a publicar uma Nota Oficial com uma palavra do Bispo Paulo Rangel sobre os graves problemas enfrentados no Rio de Janeiro. “Diante desse quadro, que é também consequência da corrupção endêmica no poder público, a qual tem sido exposta publicamente pelos desdobramentos da Operação Lava-Jato, conclamo o povo metodista a orar incessantemente para que os valores do Reino de Deus (justiça, paz e alegria) sejam vivenciados pela população do Estado do Rio e também do Estado do Espírito Santo, que têm passado por momentos de desordem e violência desenfreada. É tempo de oração!”, diz trecho do texto disponível no site da Sede Regional.

 
José Geraldo Magalhães
Publicado originalmente no Expositor Cristão de março. Acesse aqui.