Várias pessoas saíram às ruas na Caminhada pela Paz em Cariacica

Várias pessoas saíram às ruas na Caminhada pela Paz em Cariacica

O Estado do Espírito Santo passou por uma situação de calamidade pública em fevereiro, deixando, até o fechamento desta edição, 144 pessoas mortas, centenas de lojas saqueadas, escolas e comércios fechados, de acordo com dados da Polícia Civil. A causa disso tudo foi a paralisação da polícia militar no mês de fevereiro, que transformou algumas cidades do Estado em um verdadeiro caos, acarretando grande insegurança para todos/as.

es_baloesDomingo, 5 de fevereiro, foi um dos piores dias. Naquela noite vários comércios foram arrombados e saqueados, e quase todas as joalherias foram destruídas. Além dos saques, o Estado virou um verdadeiro campo de guerra com tiroteios e mortes. A maioria das Igrejas fechou suas portas com medo e insegurança. A liderança da Igreja Metodista Central em Cariacica (ES) decidiu não fechar suas portas, mantendo-se aberta para quem precisasse de ajuda. O Pastor Orlando Carrafa dos Santos fez uma mobilização entre os/as pastores/as durante a semana para a realização de uma Caminhada pela Paz na cidade de Cariacica, uma das mais sofridas pela paralisação da PM.

No dia 11 de fevereiro houve uma concentração em frente à Igreja e depois uma Caminhada pela Paz na Av. Expedito Garcia, a que mais sofreu com arrombamentos e roubos. Foi feito um Ato Profético na praça central. Os/as representantes do comércio do Espírito Santo, Vitória e Cariacica também participaram. A Igreja Metodista Central em Cariacica foi profética e desafiou os membros a saírem de suas casas para levar uma palavra aos/às moradores/as e comerciantes, alertando para a importância de se ter uma sociedade unida e mais forte do que o crime e a violência.

A caminhada foi muito bem recebida pela população e comerciantes, que aplaudiam enquanto os/as caminhantes passavam pelas ruas. Outro ponto alto da caminhada foi quando as mulheres dos policiais permitiram o Pastor Orlando entrar para orar por eles, enquanto acontecia um ato profético em frente à 2ª CIA do 7º Batalhão da cidade.

Redação EC
Colaborou: Comunicação da IMCC