capaGiroMulheres03

A terceira edição do Giro de Notícias traz como convidada a Pastora Joana D´arc Meireles, secretária para vida e missão da Igreja Metodista brasileira. A conversa sobre como várias formas de violência tem atingido mulheres cristãs no meio evangélico, discute como é possível lutar para que um cenário crescente de agressões seja transformado nas comunidades cristãs. Ouça agora, e confira o conteúdo mencionado na entrevista logo abaixo.

Os tipos de violência doméstica segundo a Lei Maria da Penha.

Violência física: É qualquer ato que prejudica a integridade ou saúde corporal da vítima.

Violência psicológica: Qualquer ação que tenha a intenção de provocar dano emocional e diminuição da auto-estima, controlar comportamentos e decisões da vítima por meio de ameaça, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, insulto, chantagem, ridicularização, ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação.

Violência sexual: É qualquer conduta que force a vítima a presenciar, manter ou a participar de relação sexual não desejada, que impeça a vítima de usar qualquer método contraceptivo ou que a force ao casamento, à gravidez, ao aborto ou à prostituição, mediante ameaça, chantagem, suborno ou manipulação; ou que limite ou anule o exercício de seus direitos sexuais e reprodutivos.

Violência patrimonial: É quando o agressor toma ou destrói os objetos da vítima, seus instrumentos de trabalho, documentos pessoais, bens, valores e direitos ou recursos econômicos, incluindo os destinados a satisfazer suas necessidades.

Violência moral: Caluniar, difamar ou cometer injúria.

Leia a lei Maria da Penha na íntegra aqui.

Leia a matéria “40% das mulheres vítimas de violência domésticas são cristãs” – publicada no Expositor Cristão impresso de dezembro/2016.

Sara de Paula
Com informações de Guia de Direitos

 

Comentários

  1. Anônimo disse:

    4.5