2016_06_zeca_aventureirosObjetivo:
Reflexão.

Estudo:
A mulher Cananeia não era judia nem nova convertida, mas tinha algumas qualidades espirituais que muitos/as judeus/as não tinham, que era uma fé viva e eficaz. A mulher cananeia (Mateus 15.21-28) com sua atitude nos mostra algumas características que precisamos absorver para sabermos viver diante das aflições da vida.

Apesar da maneira como foi tratada por Jesus, ela teve FÉ (v. 25) – ela creu que Jesus podia resolver o seu problema e em nada duvidou; ela teve CORAGEM (v. 25) – apesar de sua situação de mulher e sendo Cananeia ela não hesitou correr todos os riscos necessários para ter sua filha curada; ela teve SABEDORIA (v. 27) e PERSEVERANÇA (v. 28) – diante da resposta de Jesus ela não se abalou, continuou firme e foi sábia em suas colocações; ela demonstrou HUMILDADE (v. 27) – mesmo diante do aparente desprezo de Jesus ela aceita comer as migalhas e expõe seus problemas, sua vida; ela demonstrou ABNEGAÇÃO (v. 22) – ela abriu mão de tudo pelo bem de sua filha, não se importando com o que poderia lhe acontecer; ela teve PACIÊNCIA (v. 23-27) – esperou a hora certa para falar, não foi precipitada.

Conclusão:
Aquele e aquela que anda com o Senhor passa por tribulações, lutas, chora, mas tem em seu coração algo que nada e ninguém neste mundo pode roubar: esperança. Esperança de um futuro, certeza de proteção, confiança de que não anda sozinho ou sozinha… Diante de tantas certezas, impossível se consumir pela tristeza.
“Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos” (2 Cor 4.9).

Equipe DNTC