Comunidade do Campo Missionário Trajano de Moraes

Comunidade do Campo Missionário Trajano de Moraes

Na segunda reportagem sobre o Projeto Plantação de Igrejas iremos abordar o avanço missionário na 7ª Região Eclesiástica, a qual, em 2017, vem sendo presidida pelo Bispo Emanuel Adriano Siqueira, o Bispo Mano, como é conhecido. O Pastor Daniel Brum esteve como secretário de Expansão Missionária Regional até o final do ano passado. Ele aponta os desafios e os alvos que serão alcançados no futuro.
“A região vive desafios que nos movem com um propósito apaixonante e enriquecedor, pois temos buscado manifestar nossa identidade de ser uma Igreja de ‘Discípulas e Discípulos nos Caminhos da Missão’, manifestando o amor de Deus e espalhando a santidade Bíblica. Somos movidos/as pelo sonho de Deus de alcançarmos todas as pessoas, de tal forma que vamos ter, no futuro, um grupo de discipulado em cada rua, uma Igreja em cada bairro ou cidade para alcançarmos um milhão de discípulos e discípulas”, disse o Pastor Daniel Brum.

O território da 7ª Região abrange atualmente 60 municípios do Estado do Rio de Janeiro. Com quase 4 milhões de habitantes, possui uma atuação evangelizadora em 88 campos missionários e mais de 41 congregações. Já alcançou todos os municípios da Região. Desses 88 campos missionários, dois se destacam pela relevância missionária. Um deles na Tijuca, na Cidade de Teresópolis (RJ), conduzido pelo pastor Jonathan Eduardo; e o outro, o campo missionário de Trajano de Moraes, Distrito de Macaé (RJ), coor­denado pelo pastor Cristiano Lopes.

Trajano de Moraes

O Pastor Cristiano Lopes Banjar atua no Campo Missionário em Trajano de Moraes, no Distrito de Macaé (RJ), desde 2013, quando ainda estava na Faculdade de Teologia. Ele relata a experiência vivenciada nos últimos anos.

trajano2

Comunidade do Campo Missionário Trajano de Moraes.

“Recebi o grande desafio de implantação de um trabalho Metodista nessa cidade. Trabalhos mensais já estavam acontecendo desde 2011, porém os resultados eram bastante inexpressivos”, disse o Pastor Cristiano.

Quando Cristiano chegou à cidade, há quatro anos, a Igreja tinha um pequeno salão alugado em um local pouco estratégico e sem nenhuma pessoa efetivamente alcançada. A história de dois anos para cá é outra.

“Conseguimos um salão em um lugar bem mais estratégico, pois está localizado na rua principal da pequena cidade com 10 mil habitantes”, destacou o Pastor. Agora o problema é outro: “O tamanho e a infraestrutura do salão, que comporta apenas 50 pessoas. Hoje, contamos com 40 pessoas (com as quais me relaciono pastoralmente), temos quatro células funcionando de forma efetiva; duas delas lideradas por irmãos/ãs locais”, contou.

As atividades são semanais com cultos às terças-feiras e aos domingos. Atualmente são 22 pessoas no livro de Rol de Membros, mas os cultos dominicais, segundo o Pastor Cristiano, “chega a quase 30 pessoas”. Em 2014, o Distrito de Macaé adquiriu um amplo e bem localizado terreno no município, com vistas à futura e definitiva instalação do nosso Templo. Fato que, somado aos frutos, tem criado expectativas pelo avanço da missão em Trajano de Moraes.

Desafios

tijuca1

Projeto Tijuca, em Teresópolis

Talvez o principal, mas não o único, seja a situação econômico-financeira do município, que não possui nenhuma indústria, ou seja, são pouquíssimas oportunidades de emprego na cidade. A atividade econômica em Trajano de Moraes gira basicamente em torno do setor público municipal e da atividade rural. “A escassez de oportunidades de empregos formais gera alguns desdobramentos, que afetam diretamente a missão: Há uma necessidade flagrante, sobretudo dos/as mais jovens, de buscarem, em municípios vizinhos, oportunidades de emprego que não encontram em nosso município”, desabafa o Pastor.

Somente nos dois últimos anos, nove pessoas envolvidas nas atividades da igreja passaram por experiências nesse sentido. Um número ainda maior de irmãos/ãs ligados/as às atividades da Igreja e que permaneceram na cidade estão passando pela terrível experiência do desemprego e do subemprego.

Cristiano relatou pelo menos dois grandes desafios missionários: um deles é a arrecadação que gira em torno de R$ 1.300,00 (mil e trezentos reais) que tem sido suficiente para cobrir algumas despesas locais. “O outro desafio é a formação da liderança em meio a um povo ferido, desesperançado”, concluiu o Pastor de Trajano de Moraes, Cristiano Lopes.

Tijuca

O Pastor Jonathan Eduardo Alves assumiu o trabalho no Campo Missionário na Tijuca, em Teresópolis (RJ), em 15 de setembro de 2015, assumindo também todos os desafios já bem conhecidos pelas pes­soas da Região. “Ainda sem formação ministerial e carente de recurso financeiro para se manter, foi abraçada pelo pastor local que, pela graça de Deus, vem desenvolvendo um trabalho abençoador de crescimento na comunidade”, destacou o Pastor Daniel Brum.

tijuca2

Em novembro de 2016, a comunidade passou a se reunir em um novo espaço

Após um ano, a comunidade foi agraciada com a oportunidade de se mudarem do local de congregação, que, além de ser um espaço menor, o custo da locação do imóvel era elevado para a realidade da comunidade. “Em novembro de 2016, a comunidade passou a se reunir em um novo espaço com o dobro do tamanho do anterior”, relatou o Pastor Daniel.

Uma das ações colocadas em prática são as obras de misericórdia praticadas por John Wesley. “Temos praticado a ação social com o auxílio regular de cestas básicas e expansão do Reino com trabalho evangelístico em uma comunidade local”, destacou o Pastor Jonathan.

Além da estruturação dos ministérios locais, o discipulado tem sido a tônica para o avanço missionário no Campo de Tijuca. “Há pequenos grupos sendo implantados e um trabalho específico com a juventude local está sendo realizado”, concluiu o Pastor Daniel. O Pastor Jonathan, em seu plano pastoral, tem buscado inspiração em Deus e Sua vontade. Iniciou em 2017 o Ano da Prioridade, convocando a Igreja para buscar em primeiro lugar o Reino de Deus. De forma prática e conjunta, toda a Igreja iniciou o desafio diário de dar ênfase às disciplinas espirituais, como leitura da Palavra, oração, jejum e comunhão, através de um planejamento de crescimento espiritual.

José Geraldo Magalhães

Publicado originalmente no Expositor Cristão de março. Acesse aqui.