Protesto de moradores em frente ao quartel-geral de Vitória | Tânia Rego | Agência Brasil

Protesto de moradores em frente ao quartel-geral de Vitória | Tânia Rego | Agência Brasil

A região metropolitana de Vitória ainda vive um clima de insegurança após a onda de violência que atinge o estado cinco dias após o início da mobilização de parentes de policiais militares, que impedem a saída de viaturas dos batalhões. Apesar da presença de mil homens das Forças Armadas e 200 da Força Nacional que patrulham as ruas para reforçar a segurança na região metropolitana de Vitória, a maior parte do comércio está fechada, há poucos ônibus circulando e muitas ruas estão vazias.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol), Jorge Emílio Leal, informou que foram registrados 85 homicídios desde sábado (4) até a manhã de hoje no estado, a maior parte na Grande Vitória.

Hoje pela manhã, A Bispa Marisa de Freitas, secretária do Colégio Episcopal da Igreja Metodista comentou a situação. “Hoje é um dia da gente interceder muito pelas pessoas do Espírito Santo”, afirmou durante a ministração do devocional na Sede da organização, em São Paulo. [ASSISTA AO VÍDEO AQUI] “Nós que cremos no Senhor, olhamos para situação como Jesus viu o cego. Não é só um cego, não é só um mendigo. É gente que se deixou levar pelo pecado e está mantando”, continuou a Bispa Marisa, fazendo referência ao texto do capítulo 9 de João, que traz a história do cego de nascença curado por Jesus. “A nossa missão fica ainda mais urgente diante de tudo isso que a gente está vendo. Tem muito cego e cega ao nosso redor precisando dessa luz que nos traz tanta alegria, e nos faz quebrantar aos pés do Senhor”, encerrou.

Em seguida, o Bispo Luiz Vergílio, presidente do Colégio Episcopal convidou os presentes para intercederam por essa causa. A oração foi conduzida pelo Bispo Adonias Pereira do Lago.

O Bispo Roberto Alves de Souza gravou um pronunciamento oficial logo após a devocional, disponibilizado no site da Área Nacional da Igreja Metodista. “O estado hoje vive um caos. Muitos pais não podem mandar os seus filhos para os colégios, não podem ir ao supermercado fazer compras, e vivem um estado de perigo, de medo, de abandono. Eu quero convocar você a orar por toda essa situação”, informa o Bispo se direcionando aos metodistas e cristãos de todo país. O pronunciamento ainda sugere orações específicas pelas famílias, pelos capixabas, pela Polícia Militar, por autoridades constituídas e por aqueles e aquelas envolvidos de alguma forma com a situação.

Assista abaixo na íntegra:

Redação EC
Com informações da Agência Brasil (EBC)