2017_01_lockmann_homenagem

Bispo Paulo Lockmann presidindo o concílio extraordinário da 1ª Região, em dezembro.

O Bispo Paulo de Oliveira Lockmann, depois de quase meio século servindo ao Senhor no ministério pastoral e episcopal da Igreja Metodista, se aposentou das atividades institucionais no final do ano. O anúncio ocorreu no 20º Concílio Geral, em Teresópolis (RJ), no mês de julho do ano passado. Mesmo assim, o Bispo Lockmann continuou suas atividades episcopais até dezembro e organizou dois concílios extraordinários nas 7ª e 1ª Regiões Eclesiásticas (RE).

Natural de Porto Alegre (RS), o Bispo Paulo nasceu em 29 de janeiro de 1948. Graduou-se em Teologia em 1973. Foi eleito Bispo no 14º Concílio Geral, em julho de 1987, na cidade de São Bernardo do Campo (SP). Foram 29 anos de ministério episcopal ativo na Igreja Metodista.

2017_01_glaucia_lockmann

Bispo Paulo Lockmann ao lado esposa, Glaucia Lockmann.

Para o Bispo, o tempo passou rápido. “Parece que foi ontem. Minha sensação é de que a vida passa muito rápido. Algumas coisas são paixões em nossa vida, por exemplo, a Glaucia, minha esposa, é uma paixão que tenho até morrer. Outras paixões são a Bíblia e a Igreja”, declarou numa entrevista ao Expositor Cristão na época em que anunciou sua aposentadoria.

Pelo fato de a 1ª Região Eclesiástica ser uma das maiores em relação ao número de membros na Igreja Metodista no Brasil, o sentimento é de satisfação e conforto. “O sentimento é de certo alívio, porque eu presidia duas regiões que praticamente têm quase a metade de metodistas do restante do Brasil. Isso veio trazendo desgaste e ausência da família. Fiz isso com muito amor, mas percebe-se que é preciso uma pessoa mais jovem para tocar tudo isso. Tanto é que foram eleitos dois Bispos para conti­nuar essa missão”, afirmou.

Uma das características que o Bispo Paulo deixou nas 1ª e 7ª Regiões foi um corpo pastoral ativo. “Posso dizer que 80% dos/as pastores/as que estão atuando nas regiões foram ordenados/as por mim. Trabalhei para uma geração melhor do que a minha. Investi em pessoas com uma grande tarefa episcopal e pastoral”.

2017_01_lockmann_rangel

Bispo Paulo Lockmann ao lado do novo Bispo da 1ª Região, Paulo Rangel.

Lockmann sempre valorizou o ser humano, as pessoas em sua totalidade. “Na Igreja eu nunca briguei com ninguém; não tenho inimigos/as, mesmo quando há alguma tensão, depois a gente vai lá, se abraça, faço uma oração com a pessoa e tudo fica em paz”.

Sobre os cargos exercidos pelo Bispo, ele acredita que Deus foi abrindo as portas no decorrer do processo. “No Ciemal, acabei sendo indicado porque havia estudado em Buenos Aires e falava espanhol, isso me ajudou para ser o mais recomendado. São alguns detalhes que Deus vai abrindo portas para a gente. No Concílio Mundial, eu fazia parte do Comitê Mundial de Evangelismo e tive a oportunidade de ministrar estudos bíblicos em vários países. As pessoas foram me conhecendo e indicando para a presidência do Concílio Mundial também”.

A família Lockmann está há mais de cem anos na Igreja Metodista. Todas as experiências espirituais e formação do Bispo Lockmann foram dentro da Igreja Metodista. “Sou grato a Deus pelo que a Igreja Metodista representa em minha vida e caminhada. Meu sonho é vê-la ocupando o território nacional com testemunho que Deus tem dado a cada um/a de nós”, finalizou.

Homenagens

2017_01_lockmann_vergilio

Presidente do Colégio Episcopal (2017-2021), Bispo Luiz Vergílio, esteve presente na consagração do Bispo Paulo Rangel, no Rio.

É um sentimento de dever cumprido. Nos concílios ex­traordinários que ocorreram no final de novembro e meados de dezembro para entregas de relatórios das lideranças regionais e homenagens, várias pessoas se manifestaram em vídeo e pessoalmente, reconhecendo a importância da vida do Bispo Lockmann na Igreja Metodista.

O Bispo João Carlos Lopes, presidente da 6ª Região Ecle­siástica, foi uma das pessoas que não deixaram de homenagear o Bispo Lockmann. “Tenho o privilégio de conviver com o Bispo Paulo por várias décadas. Tenho visto-o na Igreja local, regional, nacional e mundial sempre com o mesmo fervor e com a mesma paixão evangelística, humildade e alegria em servir ao Senhor”, disse o Bispo João Carlos.

O Pastor Nelson Magalhães lembrou a importância da vida do Bispo. “O Bispo Paulo desenvolveu uma trajetória importante e deixou marcas para todos/as nós. Exerceu várias presidências. Foi presidente do Colégio Episcopal, do CIEMAL, das 1ª e 7ª Regiões, presidente do Concílio Mundial e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil, além de ser um exímio escritor. Ele deixa um legado de orgulho e admiração para todos/as nós”, declarou Pastor Nelson.

Outra pessoa que se inspira na vida e ministério do Bispo Paulo é o presidente da 4ª Região Eclesiástica, Bispo Roberto Alves de Souza. “Ele será sempre meu eterno Bispo. Sempre procuro seguir em minha vida os exemplos e as marcas que ele tem deixado para alcançar, pelo menos, 10% daquilo que ele representa para a Igreja Metodista”, afirmou o Bispo Roberto.

José Geraldo Magalhães
PUBLICADO ORIGINALMENTE NO JORNAL EXPOSITOR CRISTÃO DE JANEIRO 2017