Pastora Metodista usa estola em Santa Ceia

Pastora Metodista usa estola em Santa Ceia

A Bíblia fala da estola sacerdotal no Antigo Testamento. As vestes do sumo sacerdote eram feitas de linho simples (1 Samuel 2:18; 2 Samuel 6:14), como o eram as vestes de todos os sacerdotes. A estola, porém, era feita de “ouro, estofo azul, púrpura, carmesim e linho fino retorcido” (Êxodo 28:6). Isto indica que ela era uma mistura de lã e linho, visto que o linho só podia ser tingido de azul. A “obra esmerada” significa algum tipo de bordado.

A estola dividia-se em duas partes. Uma parte cobria as costas e a outra o peito do usuário. A vestimenta era presa nos ombros por uma grande pedra de ônix. O cinto da estola era feito de estofo azul, púrpura e carmesim entretecido com fio de ouro (Êxodo 28:8).

A sua origem no cristianismo é imprecisa. No princípio a estola provavelmente era uma tira de tecido de linho ou lã destinada a resguardar o pescoço. No Oriente aparece como faixa no século IV; já como distintivo, no Ocidente no século VI.

Na Igreja Oriental chama-se EPITRACHILION. É vestida pela cabeça e, contornando o pescoço, estende-se pela parte da frente até embaixo. Para comodidade, as suas duas partes são costuradas ou unidas entre si com botões. A estola designa uma graça especial dupla, na comparação com o diácono, concedida ao sacerdote para ministrar os Sacramentos da Igreja. Sem a estola o sacerdote não pode realizar nenhuma celebração.

Na Igreja Latina é uma espécie de faixa que o sacerdote pendura no ombro sobre o peito em cima da alva (Túnica) e debaixo da casula (veste externa). A estola deve ser da mesma cor da casula; sua única decoração é uma cruz no meio (na altura do pescoço), que o ministro ordenado beija antes de colocá-la. Geralmente ela fica escondida. A disciplina da Igreja Latina prescreve seu uso na missa, nos sacramentos, sacramentais e sempre que haja um contato com a Eucaristia.

Tanto na Igreja Oriental quanto na Latina, ela deriva do manto de oração dos judeus, mais especificamente do “orarium”, nome com o qual a estola era conhecida na antiguidade.

A palavra “orarium” é um termo relacionado a “orare” (falar, pregar), o que torna este ornamento uma insígnia dos pregadores. A partir do século XII, não se usou mais o terno “orarium”, mas “estola”.

Este orarium pode ser interpretado como o Talit. O talit é um acessório religioso judaico em forma de um xale feito de seda, lã ou linho, tendo em suas extremidades as tsitsiot (franjas).

A Igreja Latina vê o seguinte simbolismo para a estola:

  1. É símbolo do poder e da autoridade sacerdotal, sinal por excelência da dignidade sacerdotal.
  2. Como a estola era uma vestimenta utilizada por pessoas de certa dignidade, simboliza a dignidade do primeiro homem, do homem antes do pecado original.
  3. Simboliza também a inocência necessária para o cumprimento do serviço sacerdotal e a veste de glória que o servo bom e fiel usará em recompensa pelos seus méritos. Evoca, portanto, o traje de festa que o Pai colocou no filho pródigo quando ele voltou à casa. Só Deus pode nos dar tal vestimenta e tornar-nos dignos de sentar à sua mesa, ao seu serviço.
  4. Como é usada sobre o pescoço, assemelha-se a um jugo, o suave jugo de nosso Senhor, ou seja, as obrigações do estado sacerdotal.
  5. A estola também simboliza as ovelhas que o Bom Pastor carrega sobre os ombros.
  6. Ela é sinal das sogas (cordas) com que nosso Senhor foi arrastado ao calvário.
  7. A estola do diácono é símbolo de sacrifício e generosidade ao serviço da comunidade cristã.

 

Vários ministros de igrejas protestantes usam a estola. É muito comum usar túnica com estola a mostra. Ou usar a estola sobre a Clergyman (Gola Clerical) ou o terno.

Para nós protestantes a estola está relacionada a toalha que Cristo usou na noite da Ceia quando lavou os pés dos discípulos: “Jesus…, levantou-se da ceia, tirou as vestes, e, tomando uma toalha, cingiu-se. Depois deitou água numa bacia, e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido”. (João 13.3-5).

A estola é símbolo do serviço ministerial que o pastor exerce para a Igreja do Senhor. Ele tem a dignidade de ser servo de todos no serviço dos  sacramentos, da visitação, da unção com óleo, da Palavra de Deus e nas orações.

Estola para o pastor protestante significa serviço (a toalha) segundo o modelo e o discipulado do Senhor Jesus.

Escrito por Rev. Edson Cortasio Sardinha
Igreja Metodista em Vila Isabel | RJ 

Comentários

  1. Anônimo disse:

    0.5