"Já passou da hora do povo de Deus retomar a celebração do NASCIMENTO DE JESUS"

Bispa Marisa de Freitas

 

Qual o sentimento que você tem quando avista uma cruz preta ao lado de uma chama vermelha? Creio que para a maioria de nós vem logo à mente Igreja Metodista.

.
Incrível como que um desenho ou logomarca (como diz a turma antenada em comunicação) identifica aquilo que representa. Em qualquer lugar do mundo, ao ver o símbolo cruz e chama, certifico-me de que diz respeito ao metodismo. De alguma forma a Igreja Metodista está ali.

.
Ao ver o símbolo, também observo o que está por detrás dele. O símbolo tem a capacidade de trazer à memória toda uma história, uma vida toda, uma experiência com aquilo que representa. Vem história, datas, pessoas e celebrações. Ao trazer as lembranças, as emoções vêm juntas. É como se, por alguns segundos, voltássemos a viver o que foi vivido em tempos anteriores.

Pode-se sorrir hoje como se sorriu tempos atrás.
Lágrimas experimentadas no passado podem vir aos olhos novamente, dando a sensação de que ocorrem agora, neste momento. O símbolo relembra algo tão marcante que é como se tivesse a capacidade de carregar a história dentro de si. Algo excepcional e marcante. É muito mais do que se vê, é a atualização do que se viveu e se sentiu. É uma expressão externa de um tesouro que se traz por dentro. É para sempre!

 

Símbolos de Natal
.
É assim que acontece quando vemos os símbolos do Natal. Nos meses de novembro e dezembro, pode-se ver as ruas, cidades, casas, praças, hospitais e o comércio tomados de decorações que nos remetem a uma data: o Natal. As cores marcantes, as luzes e as tão conhecidas “árvores de natal” estão por toda parte. Até os “papais-noéis” estão por todos os cantos. E são tão presentes nesta época do ano que, inevitavelmente, pensa-se: o natal chegou! São “recados” que permeiam a mente da população, quer se creia em Jesus, quer não.
.
Na verdade, a decoração de fim de ano associada ao Natal termina por ser uma simbologia da data. Entretanto, é preciso que se pergunte: a que Natal estes símbolos se referem? E o que se conclui é: a um Natal tomado pelos interesses econômicos que se valem de um evento cristão para produzir dinheiro. E não são poucas as pessoas cristãs que, por se moverem segundo o que é comum às regras deste século, aceitam tais símbolos como os melhores. Afinal, trazem à memória as ceias, os presentes, o décimo terceiro salário, as compras, etc. É tempo de festa e isto basta. Ou não é assim que acontece?

 

Símbolos do nascimento de Jesus Cristo, o Salvador
Já passou da hora do povo de Deus retomar a celebração do NASCIMENTO DE JESUS. Tempo de cantar: “Hoje é Natal no país do café, sem azevinho, sem hera ou festão; mas um evento de sonho e de fé. Mais um Natal vamos nós celebrar.”
O que pode nos trazer à memória que Jesus nasceu e está entre nós? Seria um pinheiro cheio de neve? Não poderia, já que no Brasil não temos pinheiro e, muito menos, neve. Mas há países em que há muitos pinheiros e muita neve, logo, neste mês de dezembro, pode mesmo ser símbolo de festas em dezembro. Então? Que símbolos são mesmo do Natal? São símbolos legítimos, que fazem referência àquela criança que veio ao mundo para salvar a humanidade. Estes são tão simples quanto Ele:

A. Guirlanda com cinco símbolos da Luz (no tempo de Jesus, vela ou lamparina). Quatro delas são usadas em quatro domingos seguidos, que relembram, por meio de textos bíblicos específicos, que o Messias virá. E no dia de Natal usa-se a quinta vela, e a maior delas: símbolo de Jesus, a luz do mundo.

B. Representações do cenário onde Jesus nasceu: estrebaria. Este símbolo remete a uma verdade bíblica: o Messias nasceria em simplicidade, já rejeitado pelos poderes do mundo vigente. Nasce cercado pelo pai adotivo e pela mãe, cercado de animais domésticos. Representando o poder de Deus que se aperfeiçoa na fraqueza.

C. Estrela e pastores. A estrela anunciou o nascimento de Jesus para aqueles/as que trabalhavam no campo. A mesma estrela que guiou os magos até Jesus.

D. Presentes para o menino Jesus – ouro, incenso e mirra. O que podemos oferecer a Jesus quando o reconhecemos como o Salvador do mundo?

E. Velas enfeitadas. Simbolizam que a Luz do Mundo está presente entre nós.

Conclusão

Símbolos de Natal remetem-nos à história da salvação. Eles nos permitem viver um fato histórico do passado que se faz real no presente. Trazem-nos as emoções do dia em que Maria deu à luz um bebê, que parecia insignificante, quando na verdade era o próprio Deus habitando conosco. Para celebrar o Natal não é necessário dinheiro, roupa nova, festas regadas a muitas bebidas e comidas. Tudo que precisamos é nos voltar para o menino, nascido em manjedoura, que viveu, padeceu e ressuscitou dentre os/as mortos. Dele vem a nossa salvação.

.

Escrito por Bispa Marisa de Freitas Ferreira | REMNE
Publicado originalmente no Jornal Expositor Cristão impresso de dezembro