2016_11_biblia_advento

Desde o último domingo de novembro estamos celebrando o Advento, período no qual comemoramos o anúncio do nascimento e a chegada do menino Jesus. É tempo de esperança, de paz e de preparar o coração para os sentimentos e emoções que advêm da manjedoura.

É tempo de preparar os momentos de convivência e celebração pelo Natal e pelo novo ano que se aproxima. O povo de Deus sempre realizou festas e celebrações para rememorar os feitos de Deus na Sua história, como, por exemplo, a Páscoa (Êx 12.26-27). Para nós, o Natal é um destes eventos de importância, por nos rememorar a inserção de Deus na história humana, diretamente, por meio da encarnação (Jo 1).

No segundo domingo de dezembro, celebraremos também o Dia da Bíblia. Todos os dias, a Bíblia está ou deve estar presente em nossas vidas (Sl 1 e Sl 119.105), pois ela nos fala sobre Deus (Os 6.3), sobre a família (Sl 128), sobre as coisas criadas (Gn 1 e Sl 19), sobre o Reino de Deus e a Sua justiça (Mt 5-7).

A Bíblia apresenta o alimento diário para o sustento da fé (Dt 6), o aquecimento do amor (1Co 13) e a renovação da nossa esperança (Ap 1.1-9). Ela é o principal instrumento para a educação dos membros da igreja (Tt 2).

Muitos textos bíblicos destacam a importância da Bíblia para a vida de todos nós (Sl 1, Js 1.8, Sl 19.10 e Sl 119). O Salmo 1 diz que quem medita na Bíblia dia e noite é comparado às árvores plantadas ao lado das correntes de águas, ou seja, está sempre alimentado. Deus recomendou a Josué fazer o mesmo (Js 1.8) e assim encontrar a capacitação e a força necessárias para servir ao povo de Deus.

Já o salmista demonstra ter descoberto o lado delicioso e prazeroso da leitura e da meditação na Palavra de Deus: no Salmo 19.10 diz que as Palavras do Senhor são mais desejáveis do que o ouro e mais doces do que o mel. Os salmistas experimentavam seguidamente esta “delícia” que era a meditação e o estudo sistemático das Sagradas Escrituras. No Salmo 119, um deles (ou quem sabe, vários!) chega a fazer um acróstico usando as letras do alfabeto hebraico para falar da Palavra de Deus em todos os versículos.

O apóstolo Paulo fala que a Bíblia é boa para ensinar, corrigir, repreender, educar e capacitar as pessoas para as boas obras (2Tm 3.16-17). Vários outros textos nos orientam neste sentido (2Tm 3.16-17, Hb 1.1-2 e Mt 28.20). O Autor da Carta aos Hebreus (Hb 1.1-2) faz uma declaração muito relevante para o período do Advento: Deus falou, no passado pelos pais e pelos profetas. Agora, Ele fala por meio de Jesus Cristo, o filho amado, que nasceu na manjedoura. Dentre as coisas faladas por Ele, está a promessa eterna: “Eis que estou convosco!” (Mt 28.20).

 

O Advento e a Bíblia

educarA Bíblia é a “LÂMPADA para os pés e LUZ para o caminho” (Sl 119.105) e nos indica o caminho da paz, pois somos pessoas de boa vontade, a quem Deus quer bem (Lc 2.14). Advento, tempo de ler e ensinar a Bíblia As pessoas que atuam na educação cristã em nossas igrejas têm a oportunidade de estudar e explicar as implicações dos valores que o nascimento de Cristo apresenta à humanidade e ajudar seus alunos e alunas a terem uma vida fundamentada nos valores que o Seu Evangelho apresenta.

Isso significa que como os pastores e magos receberam a instrução divina para procurar o Messias, Deus continua a nos chamar a conhecer a Salvação que vem de Cristo, cuja face nos é revelada nas Escrituras (Mt 2, Lc 2). Esta busca deve ser constante e crescente.

Educar de modo cristão é buscar o conhecimento oferecido pela Bíblia e, a partir da compreensão, desenvolver uma prática que evidencie a mensagem do Natal (Deus Conosco, para nossa salva­ ção), que se faz presente em nosso viver diário.

Temos o desafio, neste Advento e Natal, de ler e compreender a mensagem bíblica que aponta para uma vida transformada e digna aos olhos de Deus e das pessoas de boa vontade. Há muita coisa para pensar. Há muito para fazer (Sl 119.105 e Lc 2.14)!

Escrito por Josué Adam Lazier | Bispo Honorário da Igreja Metodista