(1RE) – O movimento Outubro Rosa ganhou a adesão de mais uma ação. Desta vez, evangelística. Após a cura da pastora Janaína Manso Ribeiro, a Igreja Metodista da Freguesia (RJ) um projeto de distribuição de Bíblias no Inca, Unidades 3 e 4, localizadas no bairro de Vila Isabel. Na última campanha, os pacientes em estágios avançados do câncer foram alcançados pela Palavra de Deus e receberam o carinho e atenção dos metodistas, que distribuíram 200 Bíblias entre as internas. “O que buscamos é levar esperança e dar a oportunidade de conhecerem a Palavra de Deus enquanto estão enfrentam o tratamento”, disse o pastor Pércles Ribeiro, acompanhando a ação. Este ano, eles se preparam para mais uma campanha.

A falta de conhecimento por parte das internas a respeito do Outubro Rosa, impressionou a pastora. “Apesar de todos os esforços, muita gente ainda desconhece a importância da prevenção”, comentou a pastora, que participou recentemente de uma prova de Triathlo ao lado do marido e concedeu uma entrevista ao Sport TV.

Testemunho e fé

Quatro anos após a cirurgia de um tumor filóide que teve na mama direita, a pastora Janaína Manso Ribeiro, ao fazer o autoexame periódico, em abril de 2010, percebeu que no mesmo seio já operado havia um caroço. A pastora, na época com 32 anos, pediu, então, que a igreja orasse. “Quando descobri o câncer me desesperei, pois havia perdido uma prima, no mesmo período, com câncer de mama”, comenta.

Apesar de todo empenho de pastores, irmãos e amigos orando por sua vida, a cirurgia foi inevitável. E houve a necessidade de fazer uma mastectomia total (retirada do seio). “Mas a minha visão mudou depois que entrei no Inca. Acompanhada pelo meu esposo e minha mãe, fui orientada pelos médicos começando o tratamento e, então, entendendo o propósito de Deus para a minha vida: Levar o amor de Deus para aquelas mulheres sem esperança”, conta.

No total foram três cirurgias: na primeira, a mastectomia total com reconstrução imediata com o músculo da barriga; Na segunda, foi submetida à mamoplastia do seio esquerdo para simetrização; e na terceira, em agosto de 2012, para confecção do bico do seio.

“Nesses três procedimentos cirúrgicos tive a oportunidade de levar a Palavra de Deus para algumas mulheres”, conta. Para Janaína, foram anos de muito aprendizado. Além de aprendizado e maior dependência de Deus, conta que passou a dar ainda mais valor à família, que cuidou dela incessantemente, principalmente, seu marido, que não mediu esforços para estar ao seu lado.

Por meio de sua luta contra o câncer, a pastora Janaína acredita que Deus abriu uma porta para o projeto de distribuição de Bíblias no Inca. “Convidamos os metodistas para nos acompanhar na campanha de 2016, que pretende distribuir 300 exemplares a pacientes com câncer”.

Outubro Rosa: origem

A luta contra o câncer de mama, que ganhou força no mundo inteiro com a Campanha Outubro Rosa, tem recebido cada vez mais adesão. O movimento popular, comemorado internacionalmente, além de estimular a participação da população, incentiva o envolvimento de empresas, instituições e do governo. Com início nos Estados Unidos, uniu iniciativas isoladas pela prevenção do câncer de mama e estímulo ao exame de mamografia.

A história do Outubro Rosa remonta a última década do século 20, quando o laço cor de rosa foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura do câncer, realizada em Nova York, em 1990. Depois disso, diversas outras ações foram ganhando forma nos Estados Unidos e no mundo, fomentando a conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce. A cada ano o movimento ganha uma projeção maior no mundo todo e, em consequência disso, no mês de Outubro, monumentos e prédios públicos, pontes, teatros e até igrejas ganham iluminação cor de rosa, fazendo com que de forma bem feminina o movimento alcance mais pessoas.

No Brasil, a primeira iniciativa com relação a Outubro Rosa foi em 2002, com a iluminação do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, em São Paulo. Depois disso já marcaram a luta contra o câncer corridas, desfiles, palestras e o acesso gratuito a exames preventivos. A campanha também ajuda a retomar o compromisso e engajamento do poder público municipal e estadual na questão. Segundo o Ministério da Saúde, a cada ano ocorrem cerca de 50 mil novos casos de mulheres com câncer de mama e de útero e cerca de 11 mil mortes decorrentes da doença, na maior parte dos casos por diagnóstico tardio.

Escrito por: Igreja Metodista da Primeira Região