2016_10_reforma_protestante

Em 2017, comemora-se os 500 anos da Reforma Protestante. Será um marco para o protestantismo. O Expositor Cristão já publicou várias reflexões sobre a Reforma, mas nesta edição iremos publicar parte de um artigo do pastor metodista e historiador, Rev. Duncan Alexandre Reily, falecido em 2004. Reily escreveu sobre a influência do metodismo na Reforma Social da Inglaterra no Século 18. O artigo completo você encontra no site da Sede Nacional em www.metodista.org.br.

A Influência do Metodismo na Reforma Social da Inglaterra no Século 18
Rev. Duncan Alexander Reily (1924 – 2004)

Inegável é a ligação entre o Cristianismo do Novo Testamento e a ação social. Jesus uniu os grandes princípios do Velho Testamento num consórcio glorioso: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás a teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22.37-39). Nenhum homem poderá, impunemente, separar o que Jesus Cristo uniu. São Tiago, o apóstolo prático do Novo Testamento, considera as obras de caridade como a prova de fé viva em Cristo Jesus. Diz ele: “A fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma” (Tiago 2.17).

Baseando-se nestes ensinos cristalinos do Novo Testamento e na sua própria experiência cristã, João Wesley teve a convicção de que a verdadeira fé em Cristo resulta inevitavelmente em boas obras. Para ele, portanto, a chave da reforma social era a conversão dos indivíduos. Um/a pecador/a, tendo achado paz com Deus, viverá, em consequência, em paz com o seu próximo; amando a Deus, o/a pecador/a redimido/a amará e servirá a seu/a irmão/ã. Conforme diz Maldwyn Edwards, “Ele achava que o indivíduo era responsável pelo bem-estar social, e não o Estado. Era o dever e privilégio do rico ajudar o pobre, do entendido esclarecer o ignorante, do santo buscar o pecador. Ele colocava a sua inteira confiança no esforço pessoal e individual”.

Nisto Wesley era filho do seu século, porque quase todos os reformadores sociais daquela época pensavam da mesma maneira. É admirável o quanto Wesley conseguiu fazer diretamente. Ele empregou muito tempo e energia na Escola Kingswood e em outras instituições de ensino. Atacou vigorosamente a escravatura, escrevendo a sua obra de grande influência “Pensamentos sobre a Escravidão” no ano de 1774. As suas obras filantrópicas em prol dos/as pobres e enfermos/as eram variadíssimas. Desejamos traçar a sua influência nestas coisas; mas a sua influência indireta, que foi maior ainda, não é fácil determinar. O Movimento Evangélico dentro da Igreja Anglicana foi grandemente influenciado pelo Reavivamento Wesleyano. Certos/as líderes Evangélicos/as estiveram intimamente ligados/as com os/as Wesleyanos/as; muitos/as outros/as receberam influência do movimento Metodista, mas não tão direta. Assim os/as Metodistas tiveram a sua parte no despertamento dos/as ministros/as anglicanos/as a seus deveres sociais.

Leia o texto completo no site nacional da Igreja Metodista do Brasil.


Publicado originalmente no Jornal Expositor Cristão de outubro de 2016
Acesse e faça download gratuito