2016_08_20cg_rede

O tema da educação metodista desperta profundo interesse no Concílio Geral. A sessão plenária do dia 7 de julho demandou toda a parte da manhã e início da tarde para ser apresentado o relatório da Rede Metodista de Educação. A primeira parte foi realizada pelo presidente do Conselho Superior de Administração (Consad), Paulo Borges. A outra ficou com a responsabilidade do diretor-geral e superintendente do Cogeime, Robson Ramos de Aguiar.

O diretor-geral iniciou lembrando a situação no 19º Concílio Geral, realizado em Brasília, em 2011. “Tínhamos uma dívida de 250 milhões de reais e resultados educacionais incapazes de pagá-la. Atrasamos para encontrar a saída, mas finalmente retomamos nosso processo de reorganização interna”, disse Robson. Durante os últimos cinco anos, muitas coisas foram realizadas para sanar a dívida, entre elas, a venda de patrimônios da própria Rede Metodista, a concentração em ações de solução do negócio prioritariamente na venda de imóveis com uma oferta ao mercado, abrindo assim a possibilidade de venda de algumas instituições, mas logo foi interrompida pela liderança geral. Atualmente a dívida chega a pouco mais de 300 milhões de reais, com um planejamento anual de praticamente zerar o déficit até 2021 com caixa livre. A direção-geral da Rede Metodista também mudou. Robson tomou posse em 26 de setembro de 2015, em São Paulo. Segundo o diretor-geral, não está nos planos a venda de patrimônio para colocar a verba no operacional.

Ronilson Carassini, membro do Consad e coordenador da área de TI (Tecnologia da Informação), apontou sobre a importância de analisar os contratos que estavam descentralizados. “Também pensamos e planejamos sobre o que podemos negociar em grande escala para todo o Brasil onde temos as nossas unidades, como, por exemplo, links de redes de internet; na telefonia fixa estamos centralizando para um único contrato no Brasil”, disse Ronilson pensando em reduzir custos e ganho de logística. Os dados apresentados apontaram que parte da crise vivida
em nosso país refletiu seriamente na situação financeira da Rede. Paulo Borges enfatizou que a situação era diferente no 19º Concílio Geral. Ele mostrou a forma como estão enfrentando as dificuldades por meio de otimização de despesas (revisão de contratos e restruturação), além de financiamento próprio ao aluno; contratação de empresa especializada em recuperação de inadimplência e investimento na melhoria dos indicadores governamentais.

Avanço

Foi retomado o foco na reorganização educacional, fortalecimento da confessionalidade por meio das pastorais escolares e universitárias (Conapeu), reestruturação das dívidas bancárias, melhorias nos resultados nas atividades educacionais e um aumento significativo entre a Rede Metodista de Educação e a Igreja Metodista alinhando a comunicação entre Rede, Consad, Cogeam e Colégio Episcopal. A própria transmissão do 20º Concílio Geral foi realizada pela equipe do estúdio de Rádio e TV da UMESP com apoio da Rede. Os empréstimos, juros e dívidas internas com seguimentos da Igreja também foram regularizados, e iniciou-se, assim, novas conversas para possíveis parcerias.

Houve também uma profissionalização da gestão executiva com novos indicadores de sustentabilidade por cada instituição. A criação de uma auditoria interna com a contratação de mais dois funcionários também fortaleceu a Rede.

O Expositor Cristão, na edição de abril, já havia destacado a evolução da situação econômico-financeira da Rede. No relatório apresentado no 20º Concílio Geral, o número de alunos matriculados na Escola Básica soma 10,8 mil, a distância somam 7,3 mil e de Ensino Superior presencial, 35,3 mil alunos matriculados. Novas propostas para captação de novos alunos estão sendo estudadas, por exemplo, investimento em melhorias da infraestrutura na Educação Básica, replanejamento das ações com parceiros, realinhando, assim, o financeiro, parceria internacional na Educação a Distância e consultoria especializada para avaliar o Ensino Superior. O presidente do Consad, Paulo Borges, destacou à plenária a importância de ser Rede de Educação: “Com a Rede ganhamos qualidades, operacionais e financeiros”, finalizou.

Reivindicações

Após a apresentação do relatório, houve reações das lideranças no conclave. Eric de Oliveira Santos, vice-presidente da Cogeam, pediu a palavra e explicou à plenária que, juntamente com outros representantes do órgão, receberam um grupo de pessoas que protestavam a favor do Granbery (alunos, pais e funcionários) no primeiro dia do Concílio, dia 3. Uma Nota Oficial foi produzida no próprio dia 3 de julho e publicada no site nacional da Igreja Metodista. A liderança informa em nota que uma reunião extraordinária com a Assembleia do Consad será marcada logo após o conclave.

Retorno do Concílio Geral

Um Grupo de Trabalho (GT) tratou de todas as propostas que foram encaminhadas para o 20° Concílio Geral da Igreja Metodista referentes à Rede. A primeira proposta foi para harmonizar três ideias em uma única. Acolher a proposta do Consad e Cogeime de prorrogar a efetiva participação das Regiões, além de ter representantes com parecer favorável da Coordenação Regional de Ação Missionária (Coream). A proposta foi aprovada e vale até o próximo Concílio. O GT sugeriu que se rejeitasse a ideia de modificar o sistema da Rede Metodista de Educação (RME), tema de outras duas propostas. O presidente do Consad, Paulo Borges, pediu apoio à rejeição, lembrando que o relatório apresentado pela RME foi aprovado. A plenária atendeu ao pedido. O grupo ainda propôs que se harmonizassem vários itens com a intenção de marcar, em julho de 2018, um Concílio Geral Extraordinário para tratar exclusivamente de um Planejamento Estratégico visando ao futuro da RME. A plenária apresentou questionamentos referentes aos custos desse Concílio Extraordinário, além de possíveis problemas que a Rede enfrentaria com a divulgação ampla de um planejamento estratégico. Ficou decidido que o Consad, o Colégio Episcopal e a Cogeam vão discutir o planejamento estratégico junto a um representante de cada Coream. Caso haja necessidade, o Colégio Episcopal poderá convocar o Concílio Geral.

A Educação Metodista em números

Somam mais de 52 mil alunos/as matriculados/as em 2016 em duas universidades, dois centros universitários, duas faculdades isoladas e quinze colégios, além de ter mais de cinco mil profissionais empregados/ as entre docentes e administrativos. A Rede Metodista tem atuado em cinco estados brasileiros: SP, RS, MG, RJ, PA em cursos presenciais. Durante esse tempo de atuação, a Central de Serviços da Rede centralizou a contabilidade, secretaria, recursos humanos, financeiro, filantropia e marketing.


Escrito por José Geraldo Magalhães