2016_07_20cg_vergilioemarisa

A Região Missionária do Nordeste (REMNE) discutiu hoje a proposta de uma nova configuração. No 19° Concílio Geral, a REMNE propôs ser uma Região Eclesiástica independente, até o ano de 2021, ou seja, no 21° Concílio Geral da IM.

O Pastor Dilson Soares da delegação da REMNE tomou a palavra para apresentar a proposta. Há 5 anos nenhum dos estados se sustentava. Hoje, 6 estados são sustentáveis e o crescimento na região está acima da média nacional.

Quinze pontos missionários foram abertos para alcançar cidades estratégicas: Porto Seguro, Feira de Santana, Maceió, Caruaru e Petrolina. Essa ação abrange um campo com mais de 100 mil habitantes.

A delegação reconheceu que o crescimento é resultado do trabalho de muitas pessoas. “Agradecemos o apoio de todas as confederações, em especial à Confederação de homens que tem ajudado nos projetos”, afirmou o Pastor Dilson que também mencionou o compromisso que todas as Regiões Eclesiásticas tiveram, enviando suas ofertas missionárias mesmo depois da desoneração.

Proposta de nova configuração

Em resumo, a REMNE será composta pelos seguintes estados que já são financeiramente sustentáveis: Bahia, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Outro dado apresentado pelo Pastor Dilson, é que 53% da membresia da região, está em grupos de discipulados.

O Campo Missionário da REMNE, será composto pelos estados que ainda precisam da ajuda missionária: Alagoas, Ceará e Maranhão. Conforme os estados forem conseguindo autonomia, eles devem passar a compor a Região Missionária do Nordeste.

Na nova configuração, 100% dos recursos que antes eram enviados para ação missionária do nordeste do país, continuam sendo enviados pelas regiões eclesiásticas à Remne. A Sede Nacional, deixará de enviar 50% das doações para Remne, e passa a direcionar o valor para o avanço do novo Campo Missionário.

A proposta ainda explica como as áreas serão administradas.

“O/a bispo/a da Remne presidirá o Campo Missionário sem nenhuma despesa a mais para a Área Geral ou Regiões Eclesiásticas, o corpo pastoral tanto da Remne quanto do Campo Missionário fica a disposição do/a bispo/a que o preside para ser nomeado em qualquer dos estados do nordeste, quer da Remne ou do Campo Missionário. O sustento dos seis estados que comporiam a REMNE ficaria por conta dos mesmos, sem nenhuma dependência financeira das Regiões ou da Área Nacional a partir de 2023”. 

Reação da Plenária

A grande maioria da reação daqueles/as que se inscreveram para comentar a proposta, foi de apoio à Região Missionária do Nordeste. “Quando a igreja elege missão como sua prioridade, não nos falta nada”, afirmou emocionado Marco Antonio da 7ª RE. Quem também se manifestou foi o Pastor Pontes, da 4ª RE, ao dizer que a REMNE precisa de apoio de toda a igreja.

Ao ser questionada sobre a aprovação da proposta, um alto e ressonante “sim” tomou conta da plenária, que se levantou para louvar à Deus com palmas.

O Bispo Adonias Pereira do Lago, pediu que todos/as permanecessem em pé para orar por esse propósito. A oração foi conduzida pelo Bispo João Carlos. “Renove as forças do teu povo para investir em nenhuma outra coisa, se não na missão”, concluiu.

Escrito por Sara de Paula
Repórter EC

Comentários