Imagem dos Aventureiros segurando a faixa da campanha "Vida sem mosquito"

“E, chegando eles a Cafarnaum, aproximaram-se de Pedro os que cobravam as dracmas, e disseram: O vosso mestre não paga as dracmas?” (Mateus 17.24)

O combate ao mosquito Aedes aegypti é uma questão de saúde pública e cidadania. Jesus não se eximiu de suas responsabilidades sociais e deve ser esse o exemplo para pensarmos a educação de nossas crianças, para uma cidadania ativa, consciente de seus direitos e deveres e digna do evangelho. Educar crianças cidadãs significa estar disposto/a a dar exemplo de cidadania, a estar envolvido/a nas causas que afetam a população, a expor sua opinião e posicionar-se.

O combate ao mosquito é um ato de cidadania que possibilita a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Nossas famílias e igrejas podem e devem empreender ações que mostrem o seu compromisso com o bem-estar de nossas comunidades: apoiando os órgãos públicos e outros segmentos da comunidade que estão desenvolvendo ações, com o objetivo de reduzir o índice de infestação e contra a proliferação do mosquito e, assim, conter o ciclo de desenvolvimento dele; adotando atitudes conscientes e responsáveis em cada casa e vizinhança, de recolhimento de lixo e entulhos, dando a eles destino adequado, eliminando quaisquer criadouros do mosquito; auxiliando na sensibilização de outros/as cidadãos/ãs quanto à importância da organização e da mobilização para o combate ao mosquito e a prevenção das doenças por ele transmitidas.

Nossas crianças precisam ser orientadas e envolvidas nessas ações.