2016_05_igrejanapraca_bispamarisa

O projeto “Missão nas Praças” nasceu a partir de um sonho que entendia a necessidade de expansão do Reino de Deus após laços criados entre alguns/as missionários/as de vários estados no Projeto “Uma semana para Jesus”, em Porto Seguro/BA. O Estado foi escolhido como ponto de partida por ter em Salvador a capital onde se iniciou a história do Brasil. “É onde estão suas raízes, tanto de maldições como de bênção”, explicou a coordenadora do projeto, Deisiree Feitosa. As edições seguintes, no entanto, serão realizadas conforme o comando do Senhor pelas outras regiões eclesiásticas.

O projeto “Nas praças” trabalha com base no desenvolvimento do local, nesse caso, a missão, para lançar a semente do evangelho, tem referência no livro de Zacarias 8.5: “E as ruas da cidade se encherão de meninos e meninas, que nelas brincarão”. O projeto contempla duas etapas: uma teórica e uma prática.

A teórica é para o despertamento, para chamada e envolvimento dos membros das igrejas locais, além das orientações dos ministérios de intercessão, evangelismo, ação social, ação missionária, etc. O serviço consiste em técnicas de abordagem utilizando palavras de esperança sobre a vinda de Cristo, através de palestras, dinâmicas, palavra e oração. “Essa é uma forma de preparação para alargar a visão da igreja e convocá-los/as ao ‘Ide’”, disse Deisiree.

A segunda parte é a prática. Depois de todos/as habilitados/as, os/as participantes partem para os lugares indicados pela própria igreja local que os/as recebe: praças, escolas, presídios, entidades, abrigos, orfanatos, ruas, etc.

Vitória da Conquista foi a cidade a dar o primeiro passo para esse avanço. O projeto já passou por Itabuna, Feira de Santana, Salvador, Camaçari, Alagoinhas e por Aracaju, em Sergipe. “Essa foi a primeira edição. Nos nossos corações já tem mais sementes para outras cidades e estados. Mas somos apenas ferramentas. O Senhor é o dono de tudo, pois os campos estão brancos! Lancemos as redes já”, concluiu a coordenadora.

Escrito por Redação EC
Com informações da Remne