2016_05_familia_crianca

Há temas sobre os quais muitas pessoas não conseguem sequer conversar e muito menos aceitar. Um deles é a questão da separação, do divórcio de um/a cristão/ã. Acreditamos ser um tema de fundamental importância na vida da Igreja, pois muitos casais estão em crise. São esposas que apanham dos maridos, outras que são humilhadas e agredidas verbalmente, além daquelas que são violentadas. Pessoas que se veem presas a um legado que foi passado de que pessoas separadas vivem em pecado. Conversamos com a pastora Gladys Barbosa Gama que vivenciou essa árdua experiência da separação.

Como lidar com o divórcio dentro da igreja?

Tanto dentro como fora da igreja o divórcio deveria ser encarado como um “mal” necessário e não como solução de qualquer problema. O divórcio, a meu ver, existe para resolver problemas insolúveis e dramáticos. A vida a dois não é fácil, mas com diálogo, amor a Deus e muita oração podemos superar nossas dificuldades desde que estejamos dispostos/as a fazer a relação dar certo.

Como a senhora lidou com essa questão na igreja local?

A separação não é uma decisão fácil. Quando me separei há mais de 20 anos tinha duas crianças pequenas. O Guilherme, com 7 anos, tinha paralisia cerebral. Pensei que seria muito mais difícil do que foi realmente. Graças a Deus tive o apoio de minha família, do Bispo Adriel (4ªRE), do pastor Messias Valverde e, principalmente, da Igreja Metodista em Monte Castelo, Juiz de Fora/MG, onde estava nomeada. A igreja é muito acolhedora. Não diria que todos/as aceitaram a situação, mas pelo menos entenderam e me auxiliaram a enfrentar as dificuldades decorrentes da separação.

O que a senhora diria para as pessoas que estão passando por uma situação discriminatória dentro da igreja por causa de uma separação?

Meu recado aos casais que se encontram nesta situação é primeiro: orar muito, ouvir a Deus, Ele é o caminho para solucionarmos nossos problemas (Sl 37.5). Não deixar os problemas do casamento amadurecerem sem uma solução e, principalmente, não pensar que divórcio resolve os problemas, às vezes aumenta e não diminui. Depois de tentarem todos as possibilidades, a última opção é a separação. Se o casal trouxe Deus para dentro do casamento, O ouviu durante o caminhar para solucionar os problemas e a solução encontrada, com a ajuda de Deus, foi o divórcio, tenham certeza de que o problema não está no divórcio, mas deve estar em outro lugar. Portanto, o casal não deve punir-se por isso. Encarar uma dificuldade com serenidade e cabeça erguida é o começo de um recomeço feliz com a graça de Deus.

A família é um sonho de Deus?

Acredito que sim. Fomos criados/as para vivermos juntos/as e felizes, só que às vezes erramos ao tentarmos viver juntos/as, erramos na escolha do/a companheiro/a e, principalmente, quando não permitimos que Deus faça parte dessa escolha, do casamento. Creio que quem está por se casar, a primeira coisa é colocar-se diante de Deus e ouvir (de verdade) o que Ele tem a nos dizer sobre nossas escolhas. Não é simplesmente dizer: “depois de casar este problema se resolve”, muitas vezes não se resolve. Tem que buscar resolver todo e qualquer problema ou dificuldade de relacionamento antes do casamento, pois com o casamento as coisas podem, ao invés de resolver, piorar. Acredito que, se houver uma receita para um casamento feliz, é: “ouça Deus em toda e qualquer situação”. Dessa forma, cremos que não haverá necessidade de se pensar em divórcio.

Escrito por: José Geraldo Magalhães

Comentários

  1. Visitante disse:

    5