Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração” (Deuteronômio 6.4-7)

Se perguntarem a qualquer metodista da minha geração sobre o significado da Escola Dominical (ED) para sua vida, certamente ouvirão boas histórias enaltecendo os ensinos que nela obtiveram, pois por muito tempo foi a fonte de preparação e formação dos/as nossos/as líderes, incluindo-se nessa formação os princípios do caráter cristão. Apesar de surgirem outros meios para a formação de liderança para a igreja, ainda acredito no potencial da ED. Nela são aprofundados conceitos de vida pautados na Palavra de Deus, e o seu ensino alcança todas as faixas etárias, portanto é um órgão inclusivo que não privilegia determinados segmentos da Igreja, mas contempla todos eles, do Departamento de Crianças até a Terceira Idade. Já ouvi críticas dizendo que os/as professores/as não se preparam adequadamente e que somente leem a lição e fazem um monólogo durante as aulas, que eles/elas não são interativos/as e não permitem a participação da classe. Ouvi também que alunos/as não se interessam pelas aulas e sequer leem a lição da semana e que vão à classe esporadicamente, estando totalmente desligados/as dos temas desenvolvidos na revista. Ouvi ainda que a ED está obsoleta, que já cumpriu sua função e que não cabe mais na igreja.

A ED esteve presente em minha vida e foi fundamental para minha formação cristã

Para conversar sobre isso, quando pastor, em uma das nossas Igrejas, em São Paulo, promovi um fórum para debater sobre essas questões, surpreendi-me com a conclusão, pois observou-se que o problema não está na ED, nem nas lições das revistas e nem nos/as professores/as; o que falta é compromisso com a educação cristã oferecida por ela; falta aos membros priorizarem-na e aos pais entenderem a necessidade de trazer seus filhos e suas filhas para serem introduzidos/as no ensino cristão desde a infância, porque depois que crescerem dificilmente se envolverão com qualquer trabalho que a igreja oferecer; precisam dormir mais cedo nas noites de sábado para que na manhã dos domingos não fiquem em casa dormindo. Essas foram as conclusões a que chegaram naquele fórum. Como resultado, houve uma sensível melhora no desempenho da ED. Ao compartilhar essa experiência, não quero generalizar, nem mesmo simplificar algo que se apresenta mais complexo do que o que foi exposto. Para confirmar, pesquisando sobre o tema da ED ou Escola Bíblica Dominical (EBD), observei que há textos que trabalham bem sobre esse tema e que esse assunto tem sido preocupação em diversas denominações e não somente na Metodista. Inclusive existem sites que orientam como revitalizá-la. Leia mais sobre o assunto clicando aqui.

A ED esteve presente em minha vida e foi fundamental para minha formação cristã. Lembro-me com saudades da dona Olívia, na Igreja de Olímpia/São Paulo, uma professora que me ensinou, enquanto criança, sobre honestidade, honradez e me orientou sobre o que é ser cristão/ã. A admiração que ainda sinto por ela é em função do seu amor, cuidado e compromisso demonstrado com cada criança que fazia parte da sua classe. Era alguém que vivia o que ensinava, e o seu testemunho marcou minha vida. Quantos/as irmãos/ãs com a mesma capacidade e dedicação nós poderíamos mencionar? Certamente, cada pessoa que me lê nesta hora se lembrou de alguém que marcou sua vida e a influenciou ministerialmente. Dê a ela um tributo de louvor!

Em função da importância da ED em minha vida, fiz questão de educar minha filha e meu filho no mesmo caminho, levando-os, muitas vezes à força, fazendo-os entender que se tratava de algo significativo para suas vidas e, semelhantemente, estão educando os seus filhos no mesmo caminho. Sou agradecido a Deus por ter tido oportunidade de ter a ED e a dona Olívia na minha história. Firmado na Palavra de Deus (Pv 22.6) e na minha experiência posso afirmar que se a criança for ensinada no caminho da fé e na Escola Dominical, mesmo depois de envelhecer, não se desviará. Que Deus abençoe e revitalize a boa e sempre atual Escola Dominical.