"Quando, em obediência ao Senhor, colocamos os dons e talentos a serviço da igreja e da comunidade, isso é um ato de amor, de generosidade"

Bispo João Carlos Lopes

 

Sobre esta pedra eu edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. (Mateus 16.18)

Nós gostamos dessa afirmação que Jesus fez depois da declaração de Pedro de que ele era “o Cristo, o filho do Deus vivo”. Nós também já ouvimos o que podemos concluir dessa afirmação:

a) É Jesus quem edifica a igreja:

Ele disse “eu edificarei”. Nenhum/a pastor/a ou líder carismático/a; capacitado/a ou talentoso/a pode edificar a Igreja. Às vezes ficamos impressionados/as com alguns/as líderes. Deveríamos ficar impressionados/as com Jesus. É ele quem edifica a Igreja.

b) Jesus tem um projeto para a sua igreja:

Ele disse que edificará a Igreja. A afirmação de Jesus está apontando para o futuro. Não é algo que aconteceu no passado. É algo que continua acontecendo. E continuará até a sua volta.

c) A Igreja pertence a Jesus:

Ele disse “a minha igreja”. Logo, se for minha ou sua, então não é igreja. Se for igreja, pertence a Jesus. Lembre-se de que foi Jesus que morreu pela igreja, não foi você ou eu!

d) Jesus sempre protegerá a igreja:

Jesus protege uma igreja não no sentido passivo, mas no sentido ativo. A igreja avança, e no poder de Jesus ataca as portas do inferno (as manifestações do mal), e as portas do inferno não prevalecem. Então nenhum/a de nós precisa ter medo de realizar o trabalho do Senhor. Ele cuida da sua igreja.

Quero destacar alguns compromissos que o povo Metodista precisa fazer como parte da Igreja que está sendo edificada por Jesus:

1. Precisamos nos comprometer com uma vida de oração:

Precisamos dar passos práticos para nos tornarmos mais eficazes como uma igreja que ora. Precisamos nos reunir para orar. Em Mateus 21.13, Jesus disse que “minha casa será chamada uma casa de oração”. Certamente oramos individualmente, mas precisamos orar corporativamente também. Mais do que um programa, a oração precisa se tornar um estilo de vida da Igreja. A oração precisa voltar a ser prioridade na vida da igreja. Não podemos esquecer que “não é por força, nem por violência, mas pelo espírito do Senhor” (Zacarias 4.6).

2. Precisamos nos comprometer com uma vida de Santidade:

Esse é o compromisso do povo chamado metodista desde a sua origem quando Wesley e seus pregadores chegaram à conclusão de que os/as metodistas haviam sido chamados/as para “reformar a nação, em especial a igreja, e espalhar santidade bíblica por toda a terra”. Nossa história fala sobre santidade. Nosso planejamento nacional fala sobre santidade. O nosso tema para o biênio traz esta ênfase:
“Discípulos e discípulas, nos caminhos da missão, produzem frutos de uma vida santificada”.
Todo ser humano produz algum tipo de fruto. Nós somos chamados/as a produzir frutos que testifiquem o fato de que fomos santificados/as, separados/as pelo nosso Deus. Povo santo testemunhando uma vida na presença de Deus.

3. Precisamos nos comprometer com um estilo de vida de generosidade:

A generosidade é sempre consequência do amor. Quem ama de verdade é generoso/a. Deus amou tanto que praticou o maior ato de generosidade, dando o seu único filho. Generosidade afeta todas as áreas da nossa vida: finanças, dons, talentos, tempo.
Quando plantamos uma nova igreja ou um novo campo missionário, isso é um ato de generosidade. Um ato de amor sacrifical – saímos de nossa zona de conforto para abençoar outras pessoas. Quando sustentamos um/a missionário/a, isso é um ato de generosidade e de amor. Quando aceitamos liderar um grupo de discipulado, uma classe de escola dominical, isso é um ato de generosidade. Quando, em obediência ao senhor, colocamos os dons e talentos a serviço da igreja e da comunidade, isso é um ato de amor, de generosidade.
Na vida cristã, a falta de generosidade é sinônimo não apenas de egoísmo, mas é também sinônimo de desobediência e infidelidade.

4. Finalmente precisamos nos comprometer com a excelência em tudo o que fazemos:

Não basta ser generoso/a. É preciso fazer tudo com excelência. Depois de falar sobre os dons no capítulo 12 da primeira epístola aos Coríntios, Paulo inicia o capítulo 13 dizendo: no uso dos dons, eu vou mostrar para vocês o caminho sobremodo excelente: “o amor”.
Tudo o que fazemos com amor, fazemos com qualidade e excelência. Eu disse que Jesus tem um projeto para a sua igreja. Seu projeto é fazer discípulos/as de todas as nações.
Assim o povo Metodista avança, participando do projeto de Jesus para a sua Igreja. Avança em ORAÇÃO; SANTIDADE; GENEROSIDADE E EXCELÊNCIA.
Que Deus nos ajude e nos dê graça!

Comentários