Era início de um novo século. Foi na virada do milênio que um grupo de pessoas metodistas decidiu fazer algo para as crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. Nascia o projeto Sombra e Água Fresca (SAF), que comemorou 15 anos em 2015. Os últimos meses ficaram marcados na história dos/as voluntários/as que celebraram juntos/as nas comunidades locais. Foram quase três mil crianças e adolescentes que participaram das celebrações em todo o Brasil. Em Belo Horizonte/MG, a celebração foi na Igreja Metodista Canaã. A educadora social Dulce Leia Sathler Balmant destaca que foi uma grande festa. “Todos/as louvaram ao Senhor com cânticos, flautas, teclado, bateria e percussão. As crianças e adolescentes do SAF Liberdade, em Ribeirão das Neves/MG, foram os/as convidados/as especiais”, enfatizou.

As crianças da Igreja Canaã também participaram da Parábola do Grão de Mostarda, com máscaras de passarinhos. Todas as partes do culto foram totalmente interativas. Ainda de acordo com a educadora social, a presença familiar é muito importante. “As famílias têm presença relevante no Projeto Liberdade, com encontros semanais às terças-feiras”, finalizou Dulce Leia. A Fundação Metodista, em Belo Horizonte, foi representada por Roberto Gurgel e pela coordenadora pedagógica do Projeto SAF em São Gabriel, Dione Santos. As ex-educadoras Valquiria Nonata e Beatriz Marques prestigiaram a celebração, além de todos/as os/as educadores/as do Projeto SAF Liberdade e ainda as missionárias Pauline Shongo, da República do Congo, e Merlin Metsla, da Estônia, que participaram como voluntárias.

Celebrações e Recreações – na reserva indígena em Dourados/MS, as comemorações foram realizadas no espaço Tapeporã e no campo de futebol com jogos, pula-pula, jogo de boliche, brincadeiras com corda e bambolê, além das atividades normais de educação cristã. Para quem trabalha com os povos indígenas em Dourados, como o pastor Paulo Costa, foi muito prazeroso. “Não houve dificuldades para reunir quase cem crianças, apesar das chuvas fortes de final de ano, conseguimos reunir uma média de 90 pessoas entre crianças, pré-adolescentes e adolescentes para a realização de uma grande festa”, disse. O pastor Paulo Costa e sua esposa, pastora Maria Imaculada, são nomeados para trabalhar com os povos indígenas Guarani-Kaiowá, em Dourados, há mais de 30 anos. A pra. Ima, como é conhecida, destaca a alegria de servir a Deus nesse ministério e celebrar os 15 anos do SAF com as crianças indígenas. “Foi um dia muito gostoso! Trabalhar com essas crianças e adolescentes alegra muito o meu coração. Terminamos com uma celebração bem musical. Após cantarmos os parabéns, como em todo aniversário, também comemos o bolo junto com eles/as”, concluiu.

De acordo com a Agente Regional do SAF, Silvanea de Paula, as Igrejas na 6ª Região Eclesiástica também fizeram suas celebrações em comemoração aos 15 anos do SAF. “Em cada Igreja houve muita festa com apresentações e atividades nos projetos locais. Foi uma grande festa!”, disse. Segundo a agente regional, são mais de 350 crianças e adolescentes que fazem parte dos projetos com atividades diversificadas. “Eles/as recebem educação cristã, acompanhamento escolar e recreação. Em meio às dificuldades vivenciadas por essas crianças, o projeto surge como um refrigério, um Encontro de Deus”, finalizou.

Todos os familiares das crianças e adolescentes do projeto em Vila Planalto, em São Bernardo do Campo/SP, participaram da celebração dos 15 anos e de encerramento das atividades. A coordenadora local do projeto, Rosicler Ribeiro dos Passos, destaca o envolvimento dos/as voluntários/as. “Temos quase 20 voluntários/as no projeto local. Isso nos enche de alegria porque mostra que nossas crianças e adolescentes têm valor”, disse. O envolvimento dos/as pastores/as e lideranças locais nas atividades dos projetos são de suma importância para que a Igreja não somente apoie o projeto, mas seja também participante dele. “Se a Igreja e a liderança não comprarem a ideia de que as crianças e adolescentes precisam de uma educação cristã de qualidade, talvez venhamos a perdê-las/os porque há outras propostas aparentemente mais agradáveis lá fora”, finalizou Rosicler.

Em Mairinque/SP, no bairro de Dona Catarina, a Igreja Metodista de Campo Belo/SP tem um ponto missionário. Nesse local, estão reunidos/as cerca de cem crianças e adolescentes que recebem aulas de música, informática e esportes por meio de uma parceria entre CERIM (empresa de distribuição de eletricidade da região de Itu/Mairinque), que cede o espaço físico, fornece merenda e ainda dá uma pequena contribuição em dinheiro para remunerar os instrutores, e a AMAS de Campo Belo, que assumiu todas as metodologias do Projeto Sombra e Água Fresca da Igreja Metodista.

Outros projetos espalhados pelo Brasil afora também fizeram suas celebrações, como em Jundiapeba, em Mogi das Cruzes/SP, Jardim Ipê, em São Bernardo do Campo/SP, Vilhena/RO, Londrina/PR, Salto/SP e Sumaré/SP. Confira a galeria de fotos nesta página de alguns projetos que realizaram as celebrações pelos 15 anos do Projeto Sombra e Água Fresca. Se sua comunidade não sabe os dez passos para implantar o projeto, acesse www.projetosombraeaguafresca.org.br.